Publicidade
Publicidade - Super banner
Automobilismo
enhanced by Google
 

Médico da Indy prefere pista seca e narra procedimento de resgate

Dr. Guerriero afirma que equipe no Anhembi é suficiente para atender qualquer tipo de acidente

Lucas Pastore, iG São Paulo |

Neste sábado (30) de treinos no Anhembi, o sol esteve presente durante todo o tempo. O clima deixou o Dr. Marino Guerriero, responsável pelo posto médico da São Paulo Indy 300, muito contente. Guerriero comemorou a prática em pista seca e contou como acontece o atendimento aos pilotos em caso de acidente.

“Claro que, com chuva, ficamos mais atentos, pois aumenta o risco de acidentes. Mas nossa participação depende do comunicado dos oficias de prova. Dependendo do acidente, eles nos passam nível de alerta 1, por exemplo, que quer dizer que o paciente está bem, mas provavelmente com dor nas extremidades. O nível varia até o nível 5, que é quando provavelmente o piloto sofreu algum trauma grave”, contou o médico, em entrevista ao iG.

O Dr. Guerriero acredita que a equipe montada para a prova é suficiente para atender mesmo um alerta de nível 5. “Nossa equipe conta com dez médicos, dois enfermeiros e dois técnicos. Temos seis ambulâncias espalhadas pela pista, para cuidar dos pilotos, mais seis postos de saúde, com médico, enfermeiro, técnico e ambulância. Temos também dois helicópteros a postos no Campo de Marte”, finalizou.
 

Leia tudo sobre: indy 300treino classificatório

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG