Publicidade
Publicidade - Super banner
Automobilismo
enhanced by Google
 

Centenária, Indy 500 tem brasileiros em sua história

Emerson Fittipaldi, Gil de Ferran e Helio Castroneves acumulam seis títulos na prova em Indianápolis, a mais tradicional da Indy

Lucas Pastore, iG São Paulo |

Inaugurado em 1909, o Indianapolis Motor Speedway começou dois anos depois de sua fundação a receber uma das mais tradicionais corridas do automobilismo mundial. No próximo domingo (29), a partir das 13h (horário de Brasília), acontecerá a prova que comemora o centenário das 500 milhas de Indianápolis. Durante este período, os brasileiros tiveram participação de destaque.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

O Brasil é o segundo país que mais venceu em Indianápolis – atrás apenas, é claro, dos Estados Unidos. O primeiro dos triunfos brasileiros foi em 1989, com Emerson Fittipaldi. Junto com Jim Clark, Graham Hill, Mario Andretti e Jacques Villeneuve, Fittipaldi é um dos poucos que exibe em seu currículo ao menos um título mundial de Fórmula 1 e uma vitória nas 500 milhas. O brasileiro voltaria a vencer em Indianápolis em 1993, quando largou na oitava colocação.

Gil de Ferran também já subiu no lugar mais alto do pódio. Foi em 2003, quando o piloto largou na décima colocação e venceu a prova pilotando sua Penske. A equipe, aliás, é a que tem o maior número de vitórias na história das 500 milhas: 15.

No seleto grupo dos tricampeões

De todos os brasileiros que já participaram da prova, é Helio Castroneves quem mais se identifica com as 500 milhas. O piloto triunfou três vezes no local – em 2001, 2002 e 2009. Cada uma de suas vitórias – que, assim como de Ferran, venceu pela equipe Penske – apresentou alguma característica histórica.

Em 2001, Castroneves era novato na categoria. Depois de largar na segunda posição, o brasileiro sagrou-se apenas o oitavo estreante da história das 500 milhas a ganhar a prova. O feito não foi repetido nestes últimos dez anos, o que deixa o piloto na condição de último a alcançá-lo.

Em 2002, Helio largou na 13ª colocação – o que não lhe impediu de deixar o circuito com sua segunda vitória consecutiva. Com isso, o brasileiro entrou em uma seleta lista de pilotos que conseguiram vencer a prova duas vezes seguidas. Todos os outros são americanos: Wilbur Shaw (1939 e 1940), Mauri Rose (1947 e 1948), Bill Vukovich (1953 e 1954) e Al Unser (1970 e 1971).

A última vitória de Castroneves foi em 2009. Naquela temporada, se tornou o único brasileiro a conseguir a pole position em Indianápolis.

O piloto – que ganhou o apelido de “homem aranha” por escalar as grades para comemorar com o público suas vitórias – acredita que a corrida seja muito especial no calendário da IndyCar.

“Para começar, não há nada como a tradição de Indianápolis e, neste ano, comemorando 100 anos, as festividades ficam mais intensas ainda. Não é todo dia que você pode correr para um público de 500 mil pessoas e tudo isso faz da atmosfera que cerca a corrida algo muito legal”, declarou ao iG.

Com três triunfos, Helio Castroneves é um dos maiores vencedores da história das 500 milhas. Só três pilotos estão à sua frente: os americanos A. J. Foyt, Al Unser e Rick Mears são tetracampeões na pista. E Castroneves espera entrar em breve para este grupo. “A prova é um desafio enorme e não há como descrever a sensação maravilhosa que é vencer aqui. Eu tive a felicidade de vencer três Indy 500 e, confesso a você, quero ampliar ainda mais essa marca”, afirmou.

Divulgação
Bia Figueiredo foi a primeira mulher brasileira a correr em Indianápolis
As mulheres em Indianápolis

No ano passado, Bia Figueiredo se juntou a Fittipaldi, de Ferran e Castroneves na história brasileira das 500 milhas. A primeira mulher brasileira a competir na prova tornou-se, em 2010, a sétima da história de Indianápolis – nesta temporada, Pippa Mann se classificou e será a oitava.

“São muitas as razões que fazem das 500 Milhas de Indianápolis a corrida mais importante não só da Indy, mas do mundo. Também é o evento esportivo que mais reúne gente no planeta: 400 mil pessoas em um dia só, e é a corrida que dá os maiores prêmios do mundo. A programação é enorme, muitas coisas paralelas aos treinos (que antes duravam quase um mês e agora duram uns dez dias) divertem o público, são muitas atrações e há muitas cerimônias na pista e na cidade toda”, contou a brasileira ao iG.

Em 2011, além de Helio e Bia, teremos mais dois brasileiros tentando colocar seu nome na história da prova. Tony Kanaan chega a Indianápolis na sexta posição do campeonato – é o brasileiro melhor colocado. Vitor Meira foi o piloto do país que melhor se classificou: vai largar em 11º. Serão quatro representantes tentando consolidar o Brasil como maior intruso na festa americana das 500 milhas.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG