Australiano deseja disputar o GP, mas admite que não sabe qual é a real situação no país

O australiano Mark Webber acredita que os pilotos da Fórmula 1 não têm outra escolha senão confiar que a FIA tomará a decisão correta quanto à realização do Grande Prêmio do Bahrein , no próximo dia 22.

Leia também: Ecclestone confirma que Fórmula 1 vai ao Bahrein

O veterano da Red Bull disse que é perda tempo para os pilotos discutirem a questão, porque existem muitas perspectivas e opiniões e a FIA está em posição decidir se ir ao país é ou não seguro para a F1.

"Só podemos seguir o que a FIA está vendo sobre a situação e estamos depositando uma confiança imensa neles quanto a irmos e voltarmos do circuito todos os dias, competirmos na pista e termos um fim de semana de corrida normal”, declarou Webber.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

“É uma decisão difícil agora, porque estamos a uma semana da prova. Há muito mais pressão envolvida no processo de decisão, que está nas mãos da FIA, como as equipes já disseram”, acrescentou.

O australiano reclamou que está sendo difícil conseguir informações confiáveis a respeito da real situação no Bahrein: “Tentei assistir os jornais para ter a visão mais equilibrada possível, mas, sentado aqui, tenho as mesmas informações que qualquer outra pessoa. Mas se a escolha fosse minha, gostaria de correr. Isso é o que quero fazer”.

Ele admitiu, no entanto, que nem todos os integrantes das equipes estarão completamente protegidos caso as ameaças de protestos se tornem realidade no fim de semana da corrida no país árabe.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros leitores

“Há medidas de segurança adicionais no local, mas sabemos que nem todos podem ter isso, o que não me deixa confortável. Vamos torcer para que essas medidas extras sejam completamente exageradas”, disse Webber. “Precisamos confiar que as pessoas que estão tomando as decisões sabem o que vai ser operado lá. Eu não sei”, completou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.