Tamanho do texto

Brasileiro da Stock correu com alemão durante três anos e, ao iG, revelou o lado irreverente do mais novo bicampeão da F1

Durante três anos (de 2003 a 2005), Átila Abreu, piloto da Stock Car, conviveu de perto com o bicampeão mundial de Fórmula 1 Sebastian Vettel . Os dois foram rivais nas categorias de base da BMW e companheiros de equipe na Fórmula 3 Europeia. Em entrevista exclusiva ao iG , Abreu contou como foi a convivência com o alemão dos 14 aos 17 anos e revelou algumas curiosidades sobre a personalidade de Vettel. Uma das características que mais se destacava no bicampeão desde as categorias de base era a competitividade.

Leia também: Para Petrov, presença de Senna na equipe não muda muita coisa

“Vettel era muito competitivo. Ele disputava até para ver quem se saia melhor nos treinamentos físicos. Por exemplo, se pedalava ou corria mais do que os outros. Para ele, a competição para ser o melhor em tudo era muito intensa”, contou o brasileiro.

Apesar de estar o tempo todo tentando ser o melhor, Vettel não era um piloto introvertido, tampouco de relacionamento difícil . De acordo com Abreu, o alemão era bastante brincalhão. “Ele tinha uma simplicidade muito grande. Quando morávamos sozinhos, nos nossos 15 ou 16 anos, estávamos sempre arquitetando brincadeiras de moleque”, disse. “Fazíamos guerra de papel higiênico, coisas do tipo. Era muito legal. Fiquei amigo dele e de sua família. São pessoas nota 10”, revelou.

Também de acordo com Abreu, Vettel sempre teve atenção especial da Red Bull e tinha tudo para chegar à Fórmula 1 cedo. “Ele foi moldado para estar na F1. Sempre teve uma atenção especial, porque já fazia parte do programa da Red Bull desde a época do kart. Somado a isso, apresentou bons resultados nessas categorias preparatórias e isso atraiu atenção de mais pessoas”, declarou Abreu.

“Os outros competidores até comentavam que era praticamente impossível Vettel não chegar à F1, por que ele tinha diversas maneiras de conseguir esse acesso: era piloto da BMW, da Red Bull e ainda tinha Schumacher para ajudá-lo”, concluiu.

Em 2004, Átila superou Vettel em uma das provas de Nurburgring
Reprodução
Em 2004, Átila superou Vettel em uma das provas de Nurburgring

Além de Vettel, Abreu também correu com Lewis Hamilton em 2005. E, para o brasileiro, os dois pilotos estão no mesmo nível. “Na minha opinião, há três pilotos acima da média na F1: Alonso, Hamilton e Vettel. As críticas feitas ao Hamilton ultimamente só acontecem porque ele anda muito no limite do carro, então acaba cometendo alguns erros”, analisou Abreu. “Creio que, entre esses nomes, aquele que tiver o melhor carro, vai vencer”, completou.

E o piloto da Stock Car fez questão de ressaltar o grande talento de Vettel e disse que o alemão ainda deu sorte de estar no lugar certo, na hora certa. “Não havia melhor momento para Vettel chegar na Red Bull. Ele caiu justamente na melhor fase da equipe”, disse. “Acho também que a maior vantagem dele sobre Webber é que ele sempre foi um piloto criado pela Red Bull e é o queridinho da escuderia”, finalizou.

Neste fim de semana, Vettel disputa o Grande Prêmio da Coreia do Sul , às 4h de domingo (Brasília). Será a primeira prova do alemão depois de garantir matematicamente o bicampeonato.