Decisão não foi tomada antes do Grande Prêmio da Espanha para não prejudicar nenhuma equipe

AP
Christian Horner, chefe de equipe da Red Bull, não duvida que a ideia da proibição se originou de reclamações das equipes rivais
De acordo com reportagem da revista britânica Autosport , autoridades da Fórmula 1 estavam dispostas a restringir o uso do escapamento já antes do Grande Prêmio da Espanha. Os chefes da categoria concluíram que, graças à saída dos gases, o motor se tornou um elemento aerodinâmico que pode ser controlado pelo piloto, o que é proibido no regulamento. Porém, a decisão final de proibir o uso do escapamento como elemento aerodinâmico foi adiada para não prejudicar nenhuma equipe em Barcelona.

Siga o iG Automobilismo no Twitter .

Ainda segundo a reportagem, muitos acreditam que a passagem do ar proveniente do motor pelos difusores no carro da Red Bull é um dos motivos do bom desempenho da equipe. Quando perguntado sobre uma possível relação das restrições no escapamento com reclamações de rivais, Christian Horner, chefe de equipe da escuderia, não descartou a possibilidade.

“É inevitável e uma infeliz conseqüência do sucesso”, disse dirigente da Red Bull.

Para Ross Brawn, chefe de equipe da Mercedes, possíveis restrições a respeito do uso do escapamento terão grande impacto na Fórmula 1.

“Aquele destaque que as pessoas dão ao escapamento não existirá mais”, declarou, em entrevista à agência de notícias Reuters .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.