Publicidade
Publicidade - Super banner
Automobilismo
enhanced by Google
 

Ultrapassagens marcam corrida histórica na China

A rápida degradação dos pneus gerou muitas trocas de posições. Vitória de Hamilton pôs fim à hegemonia de Vettel

iG São Paulo |

AP
Hamilton ganhou o Grande Prêmio da China, marcado por muitas ultrapassagens

O Grande Prêmio da China deste domingo (17) marcou o fim da hegemonia de Sebastian Vettel na temporada. Depois de vencer as duas primeiras corridas do ano, na Austrália e na Malásia, o alemão viu a chance de fazer uma trinca de vitórias no início do campeonato acabar no fim da prova, quando foi ultrapassado por Lewis Hamilton.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

A manobra aconteceu na 52ª volta (de um total de 56) e foi responsável pela primeira vitória do britânico no ano. Após a corrida, Hamilton falou emocionado sobre o seu feito. “Me sinto muito orgulhoso, essa corrida foi uma das minhas três maiores vitórias. Existo, vivo e respiro para vencer”. O britânico agora é o único piloto com duas vitórias na China.

A ultrapassagem de Hamilton sobre Vettel, porém, não foi a única da corrida. Pelo contrário. A prova foi bastante emocionante e a troca de posições foi constante. Quem mais ganhou postos com relação ao início do GP foi Mark Webber. O australiano da Red Bull largou na 18ª colocação e acabou a corrida no pódio, em terceiro lugar.

Webber elogiou o trabalho da equipe e dedicou sua brilhante corrida aos funcionários da escuderia. Michael Schumacher também se divertiu no Grande Prêmio da China. O alemão, que largou na 14ª colocação, acabou em oitavo. A Mercedes ainda acumulou mais pontos com Nico Rosberg, quinto colocado.

Na quarta posição ficou Jenson Button. O piloto da McLaren fez uma ótima largada, ao pular da segunda para a primeira posição. Mas, no fim da prova, com os pneus mais gastos, não conseguiu segurar a terceira colocação e foi ultrapassado por Webber. Os pneus também foram responsáveis pela queda de rendimento de Felipe Massa no fim da prova. O brasileiro fez uma grande corrida, assumiu a primeira posição por um curto período e tinha tudo para terminar na terceira colocação, mas com o carro muito lento no final, não conseguiu impedir as ultrapassagens de Webber, Button e Rosberg.

Mesmo com a sexta colocação, no entanto, o ferrarista considerou seu desempenho em Xangai como o seu melhor desde 2009. “Estou feliz com minha corrida. Acho que foi minha melhor neste ano, e talvez até a melhor incluindo o ano passado”. Seu companheiro de Ferrari, Fernando Alonso, ficou uma colocação atrás.

Vitaly Petrov, da Lotus Renault, e Kamui Kobayashi, da Sauber, completaram as dez primeiras posições da corrida. Rubens Barrichello, que havia largado na 15ª posição, terminou em 13º. O brasileiro disse que espera um trabalho muito duro da Williams até o Grande Prêmio da Turquia, que acontece no dia oito de maio.
 

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG