Erros nas paradas deram o tom a uma prova emocionante, marcada por disputas entre Webber x Alonso e Button x Hamilton

No quarto Grande Prêmio da temporada da Fórmula 1, na Turquia , mais uma vez as asas traseiras móveis e o rápido desgaste dos pneus foram protagonistas. Brigas por posições, como entre os pilotos da McLaren, Lewis Hamilton e Jenson Button, ou entre Mark Webber e Fernando Alonso, aconteceram do início ao fim da corrida.

Siga o iG Automobilismo no Twitter
.

As paradas para trocas de pneus também tiveram papel decisivo no resultado final. Pela primeira vez no ano, a maioria dos pilotos precisou entrar quatro vezes nos boxes. Pior para Felipe Massa, que viu suas chances de pontuar diminuírem com erros da Ferrari nas paradas.

Mas se o GP foi disputado e emocionante para quase todos os competidores, o mesmo não se pode dizer sobre a corrida de Sebastian Vettel. A terceira vitória do piloto da Red Bull na temporada aconteceu com extrema facilidade. O alemão foi pole position e, após uma largada segura (beneficiada com o bom início de Nico Rosberg, que ultrapassou Mark Webber), precisou apenas controlar o ritmo da prova. A seguir, confira cinco momentos decisivos para o resultado final do Grande Prêmio da Turquia:

Logo na largada, Nico Rosberg assumiu a vice-liderança e permitiu que Sebastian Vettel disparasse na frente
AP
Logo na largada, Nico Rosberg assumiu a vice-liderança e permitiu que Sebastian Vettel disparasse na frente

1) Vettel dispara já na largada

Pela quarta vez no ano, Sebastian Vettel largou na pole position. Indício de que o líder do Mundial de Pilotos mais uma vez teria grandes chances de vencer a prova. O favoritismo só aumentou após os primeiros metros da corrida, quando Nico Rosberg, da Mercedes, ultrapassou Mark Webber e assumiu a segunda posição.

Enquanto Webber e Alonso brigavam para passar Rosberg, Vettel abriu uma distância significativa para os rivais e só precisou controlar a prova até o fim, para vencer mais uma vez no ano. Rosberg, por sua vez, não conseguiu segurar Webber e Alonso por muito tempo, perdeu as posições e terminou em quinto.

2) Ferrari erra nos pit stops

AP
Hamilton aproveitou-se da lentidão da Ferrari e recuperou a posição de Massa nos boxes
A Ferrari mais uma vez não trabalhou bem durante os pit stops. Principalmente nas paradas de Felipe Massa . O brasileiro, que largou na 10ª posição, fez sua primeira troca de pneus na nona volta. Pouco antes, Massa havia ultrapassado Lewis Hamilton e assumido a quinta posição.

Brasileiro e britânico entraram juntos no pit lane mas, com uma parada quase dois segundos mais rápida do que Massa, Hamilton reassumiu o quinto lugar. O maior erro da escuderia italiana, porém, aconteceu na quarta parada do brasileiro. Com problemas para trocar o pneu traseiro direito do bólido de Massa, a equipe perdeu muito tempo e fez as chances do ferrarista pontuar diminuírem consideravelmente.

No total das quatro paradas, Massa perdeu 1min33s500 nos boxes. Seu companheiro de equipe, Fernando Alonso, gastou 1min26s121, tempo melhor, mas ainda longe do ideal. Sebastian Vettel, por exemplo, desperdiçou apenas 1min21s609 em suas paradas.

3) McLaren atrapalha Hamilton e Button

Se na China a McLaren esteve impecável e conseguiu sua única vitória na temporada até agora, na Turquia a equipe deixou a desejar. Primeiro com Lewis Hamilton. A escuderia se atrapalhou na troca de pneus em seu terceiro pit stop, que aconteceu na 34ª volta. O piloto perdeu 35s688 nos boxes – foi a terceira parada mais lenta de toda a corrida.

Já com Jenson Button, o problema foi na estratégia. Depois do GP, o britânico falou que seus dois últimos pit stops aconteceram antes do ideal , o que comprometeu seu último trecho na prova. No final, com pneus mais desgastados que os adversários, Button foi ultrapassado por Hamilton e Rosberg e acabou em sexto. Seu companheiro de equipe cruzou a linha de chegada em quarto.

4) Briga entre companheiros

É praxe na McLaren contratar pilotos de ótimo nível e deixar a disputa interna em aberto. No Grande Prêmio da Turquia, a fama se mostrou verdadeira. Lewis Hamilton e Jenson Button, campeões mundiais, protagonizaram duas boas brigas por posição durante a corrida.

A primeira aconteceu ainda nas voltas iniciais, quando Lewis Hamilton errou, saiu da pista e foi parar na sexta posição, justamente atrás do companheiro de equipe. Button resistiu bem e conseguiu manter sua posição até o uso da asa traseira móvel ser liberado, na terceira volta. Depois disso, Button virou presa fácil e foi ultrapassado pelo companheiro no giro seguinte.

Nas voltas finais, mais uma vez Button foi ultrapassado por Hamilton. Desta vez, com pneus mais desgastados, nada pôde fazer. Com o quarto lugar, Hamilton conseguiu manter a vice-liderança no Mundial de Pilotos . Button, que ainda perdeu a quinta colocação para Nico Rosberg, foi ultrapassado por Mark Webber no campeonato e agora é quarto colocado na temporada.

5) Webber passa Alonso no fim

Na China, Mark Webber acabou beneficiado “sem querer” por seu mau desempenho no treino classificatório. Como não conseguiu sequer se classificar para o Q2, o australiano poupou jogos de pneus para a corrida e, largando em 18º, conseguiu terminar a prova em terceiro.

Inspirada nisso, a Red Bull decidiu que mandaria seus pilotos para apenas uma volta na parte final do classificatório na Turquia, a fim de poupar pneus. A estratégia funcionou. Depois da quarta rodada de pit stops, Webber, que estava em terceiro, tinha pneus muito mais novos do que Fernando Alonso, que estava em segundo. O australiano acabou com a vantagem do espanhol em poucas voltas e ultrapassou o ferrarista no 51º giro, a sete do fim. Com isso, decretou a primeira dobradinha da Red Bull na temporada.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.