Publicidade
Publicidade - Super banner
Automobilismo
enhanced by Google
 

Todt afirma que introdução de novos motores pode ser adiada

Presidente da FIA conversará com fabricantes de motores para chegar a um consenso

iG São Paulo |

Getty Images
Jean Todt, presidente da FIA, declarou que a mudança dos motores da F1 pode ser adiada
O presidente da FIA, Jean Todt, confirmou nesta terça-feira (7) a possibilidade de adiar a introdução do novo motor 1.6-litro turbo na Fórmula 1, que está oficialmente prevista para 2013 - mesmo que a Renault tenha afirmado que seu futuro no esporte depende disso.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

A FIA (Federação Internacional de Automobilismo) anunciou na semana passada que a porta está aberta para um acordo a fim de atrasar a troca dos motores, desde que haja apoio unânime de todas as partes interessadas. Apesar da Renault estar determinada em avançar com a mudança das regras, outros fabricantes como Ferrari, Cosworth e Mercedes-Benz não desejam fazer a troca por conta do alto custo.

“Se eu falar com a Renault, eles irão responder que se não introduzirmos o motor para 2013, eles deixarão a F1. Se eu conversar com a Mercedes e a Ferrari, eles vão me pedir para atrasar a introdução por alguns anos”, disse o presidente da FIA em entrevista ao jornal espanhol Diario Sport.

Nos próximos dias, Todt planeja conversar mais uma vez com os fabricantes de motores para descobrir o que pensam sobre a situação: “Foram eles que propuseram as regras que a FIA aceitou. A proposta não caiu do céu, mas em vez disso tivemos 11 encontros com todos os representantes dos fabricantes de motores envolvidos”, disse.

“A introdução oficial está agendada para 2013, mas se encontrarmos razões suficientes, então pode haver um adiamento. Mas como está hoje, a introdução será em 2013”, concluiu.
 

Leia tudo sobre: F1Jean TodtFIA

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG