Tamanho do texto

Brasileiro, que ficou fora do Q3 pela primeira vez no ano, elogiou o desenvolvimento de seu carro

Pela primeira vez desde que virou titular da Lotus Renault, Bruno Senna não conseguiu se classificar para o Q3. O brasileiro obteve a 15ª colocação no treino classificatório para o Grande Prêmio de Cingapura . Porém, o piloto conseguiu superar Vitaly Petrov – que vai sair em 18º - pela segunda vez em três oportunidades até aqui.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

Depois do classificatório, o brasileiro afirmou que acredita que chegou perto do melhor resultado que seu carro permitia.

“Cometi um erro na minha primeira tentativa e perdi algo em torno de três décimos. Não sei, acho que daria para ganhar uma posição, mas não mais do que isso. Já sabíamos que esta pista seria difícil para nós”, declarou Bruno, que elogiou o desenvolvimento de seu bólido ao longo do fim de semana.

“A equipe fez um bom trabalho nos pneus traseiros, mudando a cambagem e reduzindo o desgaste. Por isso, nosso ritmo de prova deve ser melhor. Aliás, comparando com a sexta-feira, eu diria que até que o carro evoluiu”, completou.

Senna, que pontuou pela primeira vez no Grande Prêmio da Itália , acredita que será difícil repetir a façanha em Cingapura, mas deixou a possibilidade em aberto.

“É difícil prever o que poderá acontecer, ainda vamos estudar as estratégias, mas a prova será muito longa, cansativa e os erros certamente vão acontecer. De repente...”, disse o piloto da Lotus Renault.