Para heptacampeão, suas falas após o GP da Turquia foram mal interpretadas

Michael Schumacher, que havia declarado após o Grande Prêmio da Turquia que “a alegria não estava mais com ele” , esclareceu nesta quinta-feira (19) que se referia ao seu desempenho na corrida e não à sua volta à Mercedes em 2010. No Istambul Park, o alemão se chocou ainda no início da prova com o russo Vitaly Petrov e terminou na 12ª colocação. Essa foi a segunda etapa no ano em que o heptacampeão não pontuou. A primeira havia sido no abandono do piloto no GP da Austrália.

Siga o iG automobilismo no Twitter

“Quem acompanhou toda a entrevista, entendeu claramente que eu falava apenas sobre a corrida turca”, afirmou o heptacampeão. “Eu tinha um carro que podia chegar em posições melhores. Considerando os erros nas voltas iniciais e meu resultado final, claro que fico desapontado”, justificou. “Obviamente não é divertido”.

Schumacher também se declarou bem-humorado para enfrentar o Grande Prêmio da Espanha , no próximo final de semana. “É igual a qualquer outro evento. Se algo mudou em mim, não é isso”, disse o alemão, que também afirmou não se abalar com as críticas da imprensa. “Naturalmente que não gosto de críticas desnecessárias, mas estou acostumado com isso”, contou. “Depois da tempestade o sol aparece”.

Apesar do bom astral, o alemão não tem conseguido superar seu companheiro Nico Rosberg desde sua chegada à Mercedes. Schumacher é o 11º colocado no Mundial de Pilotos . O líder é seu compatriota Sebastian Vettel, seguido da McLaren de Lewis Hamilton e da Red Bull de Mark Webber.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.