Presidente da Associação de Pilotos, Rubens Barrichello apoiou a empresa italiana

A Pirelli reclamou publicamente da atual regra de fornecimento de pneus para as equipes durante as provas. Insatisfeita com a sobra de jogos de pneus após as corridas, a fábrica italiana solicitou à Federação Internacional de Automobilismo (FIA) uma mudança de regulamentação para gastar menos - medida com a qual o chefe da Mercedes, Ross Brawn, discorda.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

De acordo com a Pirelli, a necessidade de fornecer cinco jogos dos pneus mais macios do fim de semana e seis de compostos duros faz com que um dos jogos sobre em todas as provas. Assim, a empresa italiana pretende fornecer um jogo a menos dos pneus duros para reduzir gastos. Brawn, no entanto, se mostrou incomodado quanto a uma possível implementação da medida.

"É impossível terminar uma corrida sem ter pneus sobrando. Se você fizer isso, então terá corridas em que os pneus irão faltar. E aconteceriam ocasiões em que você não correrá com o pneu que gostaria, pela falta dele", argumentou o chefe da Mercedes, em entrevista à revista britânica Autosport .

"Você pode ajustar isso para um jogo a menos? Talvez, eu não sei. Mas acho que tem sido tudo muito bom esse ano, e devemos ter cuidado antes de fazer qualquer alteração significativa na forma como atuamos com os pneus, porque isso tem sido um dos pontos fortes da temporada - tendo dois compostos e as diferenças entre eles", explicou.

"O fato de alguns dos pneus propositadamente terem níveis de degradação razoáveis tem animado bastante as coisas, então, honestamente, estamos relutantes em ver essas alterações", completou.

Além da opinião de Brawn ser desfavorável à pedida da Pirelli, as equipes também se mostraram contra a mudança de regra de fornecimento de pneus. No entanto, a Associação de Pilotos de Grandes Prêmios (GPDA, em inglês) sinalizou com um possível apoio à fábrica italiana. Rubens Barrichello, presidente da entidade, demonstrou a vontade dos pilotos de discutirem o caso.

"Nós apenas queremos ficar mais envolvidos com o caso. Queremos ajudar a diminuir os custos, mas queremos pensar no lado da segurança também. É por isso que enviamos uma carta para a Pirelli representando a GPDA", explicou Rubinho.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.