De acordo com integrante da Ferrari, equipe ainda não encontrou o ponto certo dos compostos

A almejada evolução de desempenho do carro da Ferrari no Mundial de Fórmula 1 passa por uma melhora no entendimento do comportamento dos pneus, segundo a própria equipe. O engenheiro japonês Hirohide Hamashima, especialista da equipe no assunto, afirma que o time só consegue extrair o máximo de rendimento dos compostos em algumas condições específicas.

Leia também: Schumacher domina segundo treino livre em Xangai

"Falando honestamente, ainda estamos sofrendo. O carro tem potencial, mas até agora não conseguimos encontrar o ponto certo dos pneus. No inverno algumas vezes encontramos, mas algumas vezes havia uma grande diferença. E, ao mesmo tempo, temos que achá-lo e deixar o carro mais robusto", avaliou o japonês.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros leitores

Hamashima reforçou a tese de que os carros da Ferrari têm desempenho melhor com a pista molhada, condição em que há menos aderência, e garantiu que a equipe conseguiu solucionar o problema da falta de aquecimento dos pneus, que atrapalhou o brasileiro Felipe Massa na temporada passada.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

"Conseguimos resolver o problema de aquecimento, mas com os diferentes pneus da Pirelli, o carro ajuda muito a consertar esse defeito. É claro que em condições de corrida, é um risco. Se você aquece bem, a degradação vai ser maior. Mas se você consegue um bom equilíbrio do carro, acho que podemos ter um bom aquecimento e boa durabilidade. Então agora temos que achar um bom balanço", avaliou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.