Publicidade
Publicidade - Super banner
Automobilismo
enhanced by Google
 

Receoso com a segurança da F1, Vettel não descarta greve

Atual campeão do mundo diz que pilotos têm o direito de não correr caso sintam-se ameaçados pelas novas regras

iG São Paulo |

AP
O alemão Sebastian Vettel, da Red Bull, durante o fim de semana do Grande Prêmio da Austrália de Fórmula 1 de 2011
Vencedor do Grande Prêmio da Austrália, primeira prova da temporada, o alemão Sebastian Vettel se mostrou preocupado com as atuais condições de segurança da Fórmula 1. O piloto da Red Bull teme que duas novidades para a temporada, a asa traseira móvel e o KERS, possam aumentar a carga de trabalho dos competidores durante as corridas, tornando-as mais perigosas.

“Se a situação piorar ao ponto de se tornar perigosa, eu acho que temos o poder de expor a nossa posição”, disse Vettel, em entrevista ao jornal alemão “Die Welt”.

Neste domingo, Christian Horner, chefe da Red Bull, disse que o KERS estará disponível para os carros da escuderia no Grande Prêmio da Malásia – o sistema não foi usado pela equipe na primeira corrida do ano, na Austrália.

Na entrevista, Vettel manteve-se firme em sua posição, e disse que os pilotos podem, em último caso, se negar a correr se julgarem que uma situação perigosa por eles exposta não for mudada pela Federação Internacional de Automobilismo.

“Abriremos nossa boca e falaremos com a federação para achar uma solução razoável”, prometeu.

Leia tudo sobre: Sebastian VettelRed BullKERSAsa traseira móvel

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG