Publicidade
Publicidade - Super banner
Automobilismo
enhanced by Google
 

Presidente da FIA diz que Bahrein continuará sendo monitorado

Jean Todt afirma que situações de risco serão consideradas antes da realização do Grande Prêmio no país

iG São Paulo |

Getty Images
O presidente da FIA, Jean Todt, em entrevista à imprensa
Jean Todt, presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), revelou nesta segunda-feira (6) que o quadro político do Bahrein será monitorado antes do Grande Prêmio de Fórmula 1 acontecer no país. Segundo o dirigente, a entidade analisará se a realização da etapa é arriscada.

Siga o iG automobilismo no Twitter

Na última sexta-feira (3), o conselho mundial de automobilismo aprovou a reinclusão do GP do Bahrein para o dia 30 de outubro. A decisão recebeu críticas de personalidades como o ex-presidente da FIA Max Mosley, o piloto Mark Webber, da Red Bull, e o ministro britânico dos esportes, Hugh Robertson.

Em meio aos ataques, Todt afirmou à rede britânica BBC que “se houver alguma situação de risco, isso será levado em consideração antes da realização do evento”. Entretanto, apesar de abrir o caso para discussão, o presidente da FIA reafirma que as condições do país árabe são boas.

“Nosso enviado especial conheceu muitas pessoas responsáveis pelos direitos humanos no Bahrein”, afirmou Todt, referindo-se ao espanhol Carlos Garcia, da Federação Espanhola de Automobilismo. “Ele conheceu muitas pessoas antes de formular o relatório, que foi submetido e aprovado por unanimidade”, concluiu.
 

Leia tudo sobre: Jean TodtF1GP do BahreinMark WebberFIA

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG