Tamanho do texto

Jean Todt afirma que situações de risco serão consideradas antes da realização do Grande Prêmio no país

Getty Images
O presidente da FIA, Jean Todt, em entrevista à imprensa
Jean Todt, presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), revelou nesta segunda-feira (6) que o quadro político do Bahrein será monitorado antes do Grande Prêmio de Fórmula 1 acontecer no país. Segundo o dirigente, a entidade analisará se a realização da etapa é arriscada.

Siga o iG automobilismo no Twitter

Na última sexta-feira (3), o conselho mundial de automobilismo aprovou a reinclusão do GP do Bahrein para o dia 30 de outubro. A decisão recebeu críticas de personalidades como o ex-presidente da FIA Max Mosley , o piloto Mark Webber, da Red Bull , e o ministro britânico dos esportes, Hugh Robertson.

Em meio aos ataques, Todt afirmou à rede britânica BBC que “se houver alguma situação de risco, isso será levado em consideração antes da realização do evento”. Entretanto, apesar de abrir o caso para discussão, o presidente da FIA reafirma que as condições do país árabe são boas.

“Nosso enviado especial conheceu muitas pessoas responsáveis pelos direitos humanos no Bahrein”, afirmou Todt, referindo-se ao espanhol Carlos Garcia, da Federação Espanhola de Automobilismo. “Ele conheceu muitas pessoas antes de formular o relatório, que foi submetido e aprovado por unanimidade”, concluiu.