Publicidade
Publicidade - Super banner
Automobilismo
enhanced by Google
 

Poles, vitórias e um pouco de sorte marcaram o título de Vettel

Relembre dez momentos decisivos da campanha do bicampeonato do alemão

iG São Paulo |

 Ao chegar em terceiro no Grande Prêmio do Japão deste domingo (9), Sebastian Vettel garantiu o segundo título mundial da sua carreira. O alemão dominou a temporada desde o princípio e, campeão com quatro provas de antecedência, protagonizou grandes lances ao longo do campeonato. Relembre a seguir dez momentos decisivos na campanha vitoriosa de Vettel.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

1 – Início de temporada em grande estilo

Logo na primeira corrida da temporada, Sebastian Vettel já mostrou que era favorito ao título. No Grande Prêmio da Austrália, disputado em Melbourne, o alemão fez a pole e ganhou a prova, abrindo a defesa do seu título em grande estilo. Durante o resto da temporada, o piloto da Red Bull conseguiu largar na frente e subir no lugar mais alto no pódio no mesmo fim de semana em mais sete provas.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

2 – Única vitória sem pole

Apesar do domínio de Vettel na temporada, existem aqueles que questionam sua capacidade como piloto. O principal argumento de quem ainda não se rendeu ao alemão é o seu carro, dominante – a Red Bull conseguiu todas as poles da temporada até agora. Claro que largando na frente é mais fácil vencer. Mas nem sempre foi assim para o piloto da Red Bull neste ano. Vettel venceu nove corridas no ano, e em apenas uma delas não largou na frente – foi no Grande Prêmio da Espanha, quando Mark Webber, seu colega de equipe, fez a pole.

3 – Sorte de campeão

No Grande Prêmio de Mônaco, Sebastian Vettel decidiu adotar uma estratégia ousada. Sentindo que seus pneus não estavam se desgastando tanto, o alemão decidiu tentar fazer a corrida com uma parada só. Porém, conforme o fim da prova se aproximava, Fernando Alonso e Jenson Button, com compostos menos desgastados que o seu, chegaram perigosamente perto do líder. Foi aí que o alemão contou com a sorte – após acidente de Vitaly Petrov, a prova foi interrompida com bandeira vermelha e os pilotos alinharam no grid. A troca de pneus foi autorizada, o que beneficiou Vettel, que pôde completar a prova na primeira colocação.

4 – Erro mais grave da temporada

A consistência foi uma qualidade importante de Vettel durante a temporada – dos concorrentes ao título, ele foi o único que completou todas as provas. Cometeu poucos erros durante o ano. Mas o mais grave deles lhe custou uma vitória. No Grande Prêmio do Canadá, o alemão largou na frente e se manteve na ponta durante quase toda a confusa prova, que, interrompida pela chuva, durou mais de quatro horas. Mas, na volta final, sucumbiu à pressão de Jenson Button, errou, espalhou na pista e acabou ultrapassado pelo britânico, terminando a corrida em segundo.

5 – Beneficiado pela equipe

Sebastian Vettel terminou o Grande Prêmio da Grã-Bretanha na segunda colocação. No fim desta prova, o alemão contou com o favorecimento da Red Bull. Mark Webber, terceiro colocado na prova e também piloto da escuderia, tentou tomar a posição do companheiro. A Red Bull passou um comunicado para o australiano pedindo que ele não atacasse o colega. Webber desobedeceu e tentou, sem sucesso, ultrapassar Vettel. Depois daquela prova, ficou claro que o campeão contava com o apoio da líder do Mundial de Construtores.

6 – Até os rivais ajudam


Correndo em casa, Vettel fez seu pior fim de semana do ano. No Grande Prêmio da Alemanha, o piloto da Red Bull largou em terceiro e terminou em quarto. Mas o resultado poderia ser ainda pior, já que, na última volta, o alemão estava atrás de Felipe Massa. Só que os dois pilotos ainda não tinham usado os pneus mais duros do fim de semana, o que é obrigatório pelo regulamento. O alemão e o brasileiro entraram juntos nos boxes, a Ferrari se atrapalhou e a Red Bull trabalhou melhor, devolvendo seu piloto à frente quando faltavam poucos quilômetros para o fim da prova.

7 – Pole em classificatório emocionante

Vettel dominou a temporada, vencendo nove corridas ao longo do campeonato. Nos treinos classificatórios, sua superioridade foi ainda maior: o alemão largou na frente em 12 provas até aqui. Uma de suas poles mais emocionantes foi conquistada no sábado antes do GP da Hungria. Lewis Hamilton manteve-se no topo durante todo o Q3, mas, nos instantes finais, o piloto da Red Bull superou-o por menos de 0s2.

8 – Fim da sequência sem vitórias

Vettel chegou para o fim de semana do Grande Prêmio da Bélgica, primeiro após as férias da Fórmula 1, mais pressionado do que nunca na temporada, já que vinha de três corridas sem vitória. Porém, o alemão soube lidar muito bem com a pressão: largou na pole e venceu aquela corrida, colocando fim ao tabu e se estabelecendo definitivamente como favorito ao título.

9 – Ultrapassagem mais bonita do ano

Com uma grande largada, Fernando Alonso saiu da quarta para a primeira colocação no Grande Prêmio da Itália. Mas não demorou para que o espanhol passasse a sofrer o ataque de Vettel. Após acidente nos primeiros instantes da prova, o Safety Car entrou na pista e voltou para os boxes somente na quinta volta. Logo após a relargada, o piloto da Red Bull partiu para cima do espanhol e, por fora, com duas rodas na grama, fez uma das ultrapassagens mais bonitas do ano. Vettel não deixou mais a ponta e venceu a corrida.

10 – Corrida do título

Vettel chegou ao GP do Japão precisando de apenas um ponto para ser campeão. Mesmo assim, fez um grande treino classificatório e conseguiu a pole. Na largada, não teve problemas para manter a primeira colocação, mas, durante a prova, sofreu um pouco com o desgaste dos pneus. Por isso, teve de parar antes dos rivais e acabou ultrapassado por Jenson Button e Fernando Alonso durante seus pit stops. Mas a terceira colocação foi mais do que suficiente para que ele garantisse o título.


Leia tudo sobre: sebastian vettelred bullcampeãofórmula 1f1

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG