Publicidade
Publicidade - Super banner
Automobilismo
enhanced by Google
 

Pirelli reduz cambagem de pneus para GP da Itália

De acordo com Paul Hembery, diretor de esportes a motor da empresa, medida é cuidadosa

Gazeta |

A Pirelli decidiu pôr fim à polêmica da degradação de pneus ocorrida no Grande Prêmio da Bélgica, no dia 28 de agosto. Após entrar em atrito com a Red Bull, a fábrica italiana pediu para que as equipes reduzissem os níveis de cambagem das rodas, para margens de inclinação mais "conservadoras".

Siga o iG Automobilismo no Twitter

O limite máximo indicado pela Pirelli seria de 3,75 graus de inclinação, de acordo com o diário britânico Autosport. A alteração diminuiria problemas de superaquecimento dos pneus nas longas retas, além de facilitar a aderência em curvas.

Isso aconteceu porque, no GP da Bélgica, a Pirelli fez a recomendação para que as equipes não ultrapassassem o limite de quatro graus. Mesmo assim, a Red Bull alterou seu equipamento para 4,3. Para a fábrica italiana, o fator contribuiu para o superaquecimento dos pneus nas retas, o que gerou a quantidade de bolhas vista durante a prova.

"Reduzimos o nível de cambagem para sermos mais cuidadosos", admitiu Paul Hembery, diretor de esportes a motor da Pirelli. "Das informações que temos, é provável que o circuito de Monza seja parecido com Spa-Francorchamps em termos de gravidade. Pela previsão do tempo, teremos pista seca, mas com estes limites mais cuidadosos, acredito que dará tudo certo", explicou.

Hembery relembrou a polêmica com a escuderia austríaca no circuito de Spa, afirmando que a avaliação da empresa italiana de pneus sobre a cambagem não mudou após o entrevero.

"Enviamos uma recomendação antes da corrida de Spa e ela não mudou agora. Para ser pragmático, se a pista estivesse seca no treino, as coisas teriam sido diferentes. Acho que todos aprendemos com esse ocorrido", comentou.

Leia tudo sobre: f1spa-francorchampspirellimonzagp da itália

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG