Publicidade
Publicidade - Super banner
Automobilismo
enhanced by Google
 

Pilotos acreditam que chuva pode mudar totalmente o GP da Malásia

Tempestades, comuns em Kuala Lumpur, podem influenciar diretamente no resultado final da prova

iG São Paulo |

O fator meteorológico sempre foi motivo de atenção por parte de escuderias e pilotos no Grande Prêmio da Malásia. O forte calor malaio e as constantes chuvas na região de Kuala Lumpur já causaram resultados inesperados. Apesar de não ter aparecido durante os treinos livres e classificatórios de Sepang , a chuva foi muito citada pelos competidores como fator que pode alterar os rumos da corrida, que ocorrerá às 5h da manhã de domingo (horário de Brasília).

Siga o iG automobilismo no Twitter.

O piloto da Ferrari Fernando Alonso largará na quinta colocação. O espanhol declarou após o classificatório que o grid pode lhe dar a possibilidade de pódio, pois crê na possibilidade de chuvas durante o GP. “Sei que quando chove aqui, chove muito”, afirmou o bicampeão mundial. No entanto, o asturiano ressaltou que a pista molhada também tem seus contras. “Pode ser muito ruim se chover, pois em uma loteria também podemos perder”, disse ao jornal espanhol AS.

O diretor-técnico da Ferrari, Pat Fry, afirmou que a escuderia deve ter muita cautela e bolar a estratégia de acordo com a possibilidade de dilúvio. “Tem uma grande possibilidade de chuva para amanhã e sabemos que, em Sepang, isso pode significar uma tempestade muito forte. Precisamos ser cuidadosos e tomar as decisões corretas conforme o tempo”.

O russo Vitaly Petrov, terceiro colocado no último GP, disse que precisa estar preparado para qualquer condição meteorológica que enfrente no domingo. “Temos que observar o tempo, pois há risco elevado de chuva, mas estou pronto para pista molhada ou seca”, declarou o piloto da Lotus Renault, que largará em oitavo.

Rubens Barrichello, apesar de ter ido mal no classificatório, mostra que deseja chegar à zona de pontuação independente do tempo chuvoso ou seco. “Entrarei na corrida para pontuar, independente se chover ou não”, disse o brasileiro, que largará em 15º.

Em 2009, o GP da Malásia foi interrompido antes de seu término por conta das fortes chuvas. Jenson Button foi o vencedor daquela prova. A pontuação foi distribuída pela metade, fato que não ocorria desde 1991, no GP da Austrália.
 

 

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG