Piloto afirmou que equipe pode melhorar seu KERS e criticou as duas zonas para uso da asa móvel no Canadá

AP
Sebastian Vettel, líder do Mundial de Pilotos, errou na última volta do GP do Canadá, entregando a vitória para Button
Líder do Mundial de Pilotos , Sebastian Vettel, da Red Bull, disse que sua equipe ainda tem muito potencial para se desenvolver, e que conseguirá um carro ainda mais rápido nesta temporada . Para isso, o alemão acredita que a escuderia ainda precisa trabalhar muito para melhorar, principalmente em relação ao KERS e ao desempenho com os pneus Pirelli.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

“Temos que continuar aperfeiçoando nosso carro. Na fábrica temos um pessoal tentando melhorar as coisas de muitas maneiras, não só na aerodinâmica, mas também mecanicamente. E nós trazemos muitas novas partes para a pista”, contou Vettel, em entrevista à ESPN .

O piloto admitiu que a Red Bull está trabalhando forte para melhorar o KERS depois de algumas falhas do sistema durante as provas.

“É o nosso ponto fraco no momento, com certeza. O sistema teria nos ajudo se tivesse funcionado 100% do tempo e nos teria feito mais rápidos, especialmente nas corridas. Mas não foi o que aconteceu, então só podemos dizer que continuaremos trabalhando nisso e tentando torná-lo confiável”, afirmou.

Apesar de ser o mais rápido dos treinos, o alemão ressalta que outro problema é a administração dos pneus Pirelli durante as corridas. “Temos duas ou três coisas nas quais estamos trabalhando e temos que fazer melhor no futuro. Não há segredo. Acredito que temos um pacote muito rápido e que apenas precisamos nos assegurar de que poderemos usar isso independentemente das condições da prova”, declarou.

Vettel ainda criticou a liberação de duas zonas para uso da asa móvel em um mesmo circuito, como aconteceu no GP do Canadá do último domingo (12) , quando o piloto perdeu o primeiro lugar na última volta, depois de Button se aproximou usando o dispositivo .

“Você tem que tomar cuidado com a criação de uma zona muito grande, porque claro que isso pode deixar a ultrapassagem muito fácil, como penso que foi no Canadá, o que certamente não é a ideia”, enfatizou o piloto.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.