Publicidade
Publicidade - Super banner
Automobilismo
enhanced by Google
 

Para ministro britânico, GP do Bahrein pode ser um desastre

Hugh Robertson reforça as críticas contra a decisão da FIA de recolocar a corrida no calendário deste ano

iG São Paulo |

A polêmica em torno do reagendamento do Grande Prêmio do Bahrein para o dia 30 de outubro ganhou novos ingredientes nesta segunda-feira (6). Em entrevista ao jornal Daily Telegraph, o ministro britânico dos esportes, Hugh Robertson, disse que esta decisão pode significar um desastre para o esporte. 

Siga o iG Automobilismo no Twitter

"Você não pode ter uma situação em que a política ultrapasse o esporte", disse Robertson ao periódico. "Se isso acontece, você tem um desastre nas suas mãos. Você pode entender porque grupos de oposição podem querer que a corrida aconteça, se eles estão planejando protestos ao redor, e isso é um perigo".

A postura da FIA também foi fortemente criticada pelo seu ex-presidente, Max Mosley, e pelo piloto Mark Webber, da Red Bull, que ressaltaram os problemas que causará à F1. Enquanto a Federação acredita que a turbulência política que forçou a suspensão do GP no começo do ano está amenizada, Nabeel Rajab, presidente do centro de Direitos Humanos de Bahrein, afirmou que os protestos serão extensos.

“As pessoas estão muito chateadas e já nomearam o dia da corrida de ‘Dia da Fúria’, em que você sai em todos os lugares, em todas as cidades do Bahrein para mostrar a raiva contra o governo”, explicou Rajab. “É muito triste ver que o GP sente que seus benefícios e interesses são mais importantes do que os direitos humanos da população desta região”.

É esperado que a Associação das Equipes da F1 divulgue nesta semana sua posição sobre a situação da prova no circuito de Sakhir, quando todos estiverem reunidos em Montreal para o fim de semana do GP do Canadá.
 

Leia tudo sobre: F1FIARubens BarrichelloMark Webber

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG