Publicidade
Publicidade - Super banner
Automobilismo
enhanced by Google
 

Para Ecclestone, Schumacher deveria ser chefe de equipe

De acordo com chefe comercial da F1, heptacampeão tem muita experiência e talento

Gazeta |

O Grande Prêmio da Bélgica, neste fim de semana, marcará exatamente 20 anos do heptacampeão Michael Schumacher na Fórmula 1. Nas vésperas da prova do tradicional circuito de Spa-Francorchamps, o mesmo onde o alemão correu pela primeira vez, o chefe comercial da categoria, Bernie Ecclestone, disse nesta terça-feira (23) que o alemão não deveria deixar a categoria depois de se aposentar como piloto.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

"Não o vejo abandonando a F1, a não ser que ele realmente acredite que seu carro não seja competitivo e entenda que é a hora. Ele deveria liderar um time. Com sua experiência e seu talento, seria um diretor de primeira classe", elogiou Ecclestone à Agência de Imprensa Alemã.

Não foi só Bernie, presidente da FOM (Formula One Management), que elogiou Schumacher nos últimos dias. O finlandês Mika Hakkinen, lendário rival do alemão da Ferrari na época em que pilotava pela McLaren, acredita que ele pode inclusive conquistar um título na Mercedes, onde está atualmente.

"Se Michael continuar na F1 por tempo suficiente, com determinação e um carro competitivo, ele terá chances de vencer seu oitavo campeonato mundial", ressaltou recentemente o ex-piloto bicampeão mundial.

Em relação aos rumores de que estaria infeliz na escuderia prateada, o chefe de equipe Ross Brawn garantiu que, se o trabalho nos boxes proporcionarem um bom carro ao heptacampeão, ele continuará correndo. O dirigente trabalhou com Schumacher em todos os seus sete títulos mundiais.

Leia tudo sobre: f1michael schumacherbernie ecclestoneross brawm

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG