Tamanho do texto

Piloto espanhol admitiu que escuderia é a mais fraca da categoria em 2012, mas está buscando melhorar

Depois de deixar o cargo de piloto de testes da McLaren para assumir a titularidade na Hispania, o espanhol Pedro de la Rosa reconheceu as limitações da equipe, mas não deixou de acreditar e projetar uma evolução com a escuderia.

Leia também: Webber terá futuro definido somente no meio da temporada

Os problemas com o time já começaram antes mesmo do início da temporada de corridas. Com grandes dificuldades de projetar um novo carro, a Hispania foi a última a apresentar o novo modelo e perdeu importantes dias da pré-temporada de treinos coletivos da Fórmula 1.

"Não temos medo de admitir que somos os piores, mas temos de ter a ambição de não ficarmos para trás. Nosso objetivo é terminar as corridas, deixarmos de ser os últimos e crescer, tentando diminuir a distância para o pole-position", afirmou De la Rosa à emissora espanhola Antena 3 .

A nova temporada de corridas da Fórmula 1 começa no próximo dia 18, em Melbourne, na Austrália. "Iremos à Austrália com os pés no chão porque não tivemos pré-temporada, temos claro que não vamos ganhar", acrescentou.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros leitores

Para o espanhol, o favoritismo pertence novamente a Red Bull, que tentará manter seu domínio pelo terceiro ano consecutivo. "O favorito é Vettel por ser bicampeão do mundo e porque a Red Bull teve mais horas de trabalho no túnel de vento que qualquer outra", opinou o piloto.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

De la Rosa mostrou-se ansioso para o embarque e contou alguns dos preparativos da equipe. "Falta pouco. A equipe está arrumando tudo e preparando um segundo chassi. Nesta quinta-feira (8), eles vão colocar tudo nos aviões que serão enviados à Austrália. Sabemos que somos modestos, talvez uma das piores equipes desta época. Mas queremos deixar de ser. Este é o objetivo. Queremos ir melhorando".