Espanhol não se importa com a vice-liderança e mira última vitória em 2011. Ele ainda elogia dupla com Massa

Nesta quinta-feira (13) Fenando Alonso declarou que seu objetivo para o resto da temporada é vencer uma das quatro corridas restantes, mas ele admitiu que essa será uma tarefa difícil. Além disso, o espanhol quer continuar se divertindo nas provas, já que não está mais sob pressão.

Veja também: Hamilton pede coragem para Massa conversar com ele cara a cara

Anteriormente, o piloto da Ferrari havia dito que sua meta era terminar o ano como vice-líder do campeonato, mas mudou de ideia após o Grande Prêmio do Japão . Agora sua prioridade é assegurar uma vitória, já que, segundo o piloto, terminar o Mundial em segundo ou em quinto não faz muita diferença.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

“Vou tentar vencer uma corrida se possível, mas sabemos que isso será difícil”, disse Alonso. “Uma vez que você não pode mais ser campeão, não há grande interesse. Tentarei me divertir correndo, sem pressão em relação a minha posição no campeonato, porque acho que terminar em segundo ou quinto não faz uma grande diferença”, acrescentou.

O espanhol é realista no que diz respeito às chances da Ferrari no Mundial de Construtores – a escuderia se encontra na terceira colocação, 96 pontos atrás da vice-líder McLaren. “No campeonato de construtores, que é o mais importante agora, a McLaren está muito à frente. A Red Bull continuará como favorita e a McLaren está muito forte nessa parte do campeonato”, avaliou.

Alonso também comentou sobre sua relação com Felipe Massa e disse que está muito feliz com a presença do brasileiro na equipe.

“Estou extremamente feliz com o companheiro de equipe que tenho ao meu lado. Temos um time forte no momento”, afirmou o piloto da Ferrari. “Somos pilotos diferentes, com estilos diferentes, então podemos ajudar um ao outro com a maneira de pilotar e a forma de abordar o fim de semana. Tenho aprendido muito com o Felipe nesses dois anos”, completou.

"No futuro, ninguém sabe. Tenho um longo contrato com a Ferrari, nos próximos cinco ou seis anos não sei se estaremos ainda com o Felipe ou se haverá uma mudança. Mas se alguém novo vier, trabalharemos tão próximos quanto trabalhamos com ele e tentaremos ajudar a Ferrari a ganhar o máximo de corridas possível”, concluiu o espanhol.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.