Tamanho do texto

Em sua temporada derradeira na Williams, Barrichello fez apenas quatro pontos. Senna busca em 2012 seu melhor desempenho na F1

Depois de muitas especulações e quase um mês de negociações, a Williams anunciou na última terça-feira (17) a contratação de Bruno Senna para a temporada 2012 da Fórmula 1. Já em suas primeiras declarações como membro da equipe, o piloto mostrou otimismo e afirmou que o objetivo do ano é pontuar em todas as provas da temporada. Caso isso aconteça, ele superará com folga o último ano de Rubens Barrichello na escuderia britânica.

Leia também: Williams afirma que Senna não foi escolhido por apoio financeiro

Rubinho, com dois nonos lugares, marcou apenas quatro pontos em 2011 – com cinco ao todo, a Williams teve sua pior temporada da história. Senna nem precisaria pontuar em todos os GPs para superar essa marca. Bastaria para ele terminar uma das corridas na sétima colocação. Com o novo motor Renault , é muito provável que a Williams comece a temporada bem mais forte do que no ano passado, e superar o desempenho do compatriota não deve ser tarefa muito complicada para Senna.

Para ultrapassar a temporada de 2010 de Rubinho na Williams, porém, o caminho é muito mais longo. Naquele ano, Barrichello fez 47 pontos (melhor resultado da Williams desde 2004). Mas, antes de superar as marcas de Rubinho na equipe britânica, Senna terá como desafio melhorar seu próprio desempenho na Fórmula 1 . Correndo por Hispania e Lotus Renault, o brasileiro conseguiu apenas dois pontos em 26 corridas até hoje.

Bruno Senna busca melhorar fraco retrospecto na Fórmula 1

A carreira de Bruno Senna começou tardiamente. Após as mortes de seu tio, Ayrton, em 1994 , e de seu pai (em um acidente de moto, em 1996), Bruno se afastou do automobilismo por quase uma década.

Em 2004, voltou para as pistas e disputou algumas provas da temporada da Fórmula BMW. Mas a carreira engrenou mesmo a partir do ano seguinte, quando passou a competir na Fórmula 3 inglesa. Foram duas temporadas na F3 antes de ir para a GP2 , categoria pela qual conquistou o vice-campeonato em 2008.

Siga o IG Automobilismo no Twiiter

Em 2010, Senna estreou na Fórmula 1 guiando pela fraca equipe Hispania. O ano foi de aprendizado para o piloto que, limitado por um carro claramente inferior aos concorrentes, conquistou sua melhor colocação no Grande Prêmio da Coreia do Sul, quando cruzou a linha de chegada no 14º lugar. Sua melhor posição de largada foi a 18ª, na Bélgica.

Na temporada seguinte, Senna deixou a equipe espanhola e foi anunciado como piloto reserva da Lotus Renault. Depois de passar metade da temporada sem disputar corridas, o brasileiro teve uma nova chance na categoria ao substituir Nick Heidfeld, um dos titulares da equipe, no Grande Prêmio da Bélgica .

Logo em seu primeiro treino classificatório na temporada, Senna conseguiu seu desempenho mais impressionante na F1. Em sessão com chuva, ele superou nomes como Fernando Alonso e conquistou a sétima posição no grid de largada . Na corrida, porém, sua sorte mudou logo na primeira curva, por conta de uma batida em Jaime Alguersuari. O brasileiro terminou a prova em 13º.

Sua segunda corrida pela Lotus Renault, na Itália , também foi interessante e, com um nono lugar, Senna conseguiu seus dois primeiros (e únicos) pontos na Fórmula 1 até agora. Depois do bom início, porém, os resultados deixaram de aparecer e o máximo que Senna conseguiu foram dois nonos lugares em classificatórios – mas nenhum ponto a mais em GPs.

Confira o desempenho de Bruno Senna em seus dois primeiros anos de Fórmula 1.

Temporada 2010
Equipe: Hispania
Corridas Disputadas: 18
Pontos: Zero
Melhor Grid: 18º lugar (GP da Bélgica)
Melhor Resultado em GP: 14º lugar (GP da Coreia do Sul)
Classificação no Campeonato: 23º lugar

Temporada 2011
Equipe: Lotus Renault
Corridas Disputadas: 8
Pontos: 2
Melhor Grid: 7º lugar (GP da Bélgica)
Melhor Resultado em GP: 9º lugar (GP da Itália)
Classificação no Campeonato: 18º lugar