Brasileiro rodou na 20ª volta, caiu para a quinta colocação e teve de esperar mais uma prova para celebrar o tricampeonato

Na continuação do especial de 20 anos do tricampeonato mundial de Ayrton Senna , o iG Automobilismo conta a história do Grande Prêmio da Espanha de 1991.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

A prova na Catalunha foi a antepenúltima daquele ano. Senna chegou à Espanha com 83 pontos, contra 59 de Nigel Mansell, vice-líder. Como levava vantagem também no número de vitórias, bastava ao brasileiro estabelecer uma vantagem de 20 pontos frente ao britânico pra sair dali campeão.

Mas uma rodada no começo da prova tirou as chances do brasileiro vencer o primeiro GP disputado no Circuito da Catalunha na história e ainda adiou sua festa.

Getty Images
Em 1991, Senna poderia ser campeão por antecipação se vencesse o GP da Espanha

Conheça a história do GP da Espanha em 1991

No treino classificatório, Ayrton Senna fez o terceiro melhor tempo. A pole position ficou com seu companheiro de McLaren, o austríaco Gerhard Berger. Entre a dupla, posicionou-se Nigel Mansell, perseguidor de Senna na briga pelo título mundial.

Na manhã de domingo, dia 29 de setembro de 1991, um temporal serviu para aumentar a emoção da prova. Na hora da corrida, não chovia mais, mas a pista ainda estava molhada. Na largada, boas notícias para o torcedor brasileiro, já que Senna passou Mansell e foi seguido por um surpreendente Michael Schumacher, que pulou da quinta para a terceira colocação. Com isso, o britânico caiu para quarto.

Mansell venceu a primeira prova no Circuito da Catalunha
Getty Images
Mansell venceu a primeira prova no Circuito da Catalunha
Durante a prova, voltou a chover. Senna era famoso por correr bem em pista molhada. Porém, o que parecia ser uma boa notícia para os fãs do piloto acabou voltando-se contra ele, já que, na 20ª volta, o então piloto da McLaren rodou e caiu da segunda para a quinta colocação – posição que ocupou até o fim da prova em Barcelona.

Nigel Mansell ficou com a vitória. Alain Prost, da Ferrari, e Riccardo Patrese, companheiro do britânico na Williams, completaram o pódio. Mais dois brasileiros disputaram a prova: Maurício Gugelmin foi o sétimo pela Leyton House-Ilmor, e Nelson Piquet chegou em 11º com sua Benneton .

Deste modo, Senna partiu para o Japão, penúltima corrida da temporada, com 85 pontos, contra 69 de Nigel Mansell. O título estava perto do Brasil, mas ainda em aberto.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.