Publicidade
Publicidade - Super banner
Automobilismo
enhanced by Google
 

Médico de Kubica diz que retorno do piloto à F1 seria um milagre

Para o Dr. Francesco Lanza, é muito cedo para previsões seguras a respeito do retorno do polonês às pistas

iG São Paulo |

Desde o último domingo (24), quando Robert Kubica deixou o hospital em que ficou internado por cerca de dois meses, há um grande interesse em saber se o piloto da Lotus Renault voltará às pistas, e quando este retorno deve acontecer. Nesta quinta-feira (28), o médico do corredor, Dr. Francesco Lanza, diretor da Ortopedia do Hospital Santa Corona, falou sobre o tratamento e a possível volta ao automobilismo.

Siga o iG automobilismo no Twitter

“Estávamos esperando ele se mexer sozinho. Ele estava limitado por algumas fraturas, em que não podíamos colocar peso algum, e pelo ombro que não o deixava usar suas muletas. Quando ele ganhou sua independência, ficou claro que ele queria ir pra casa”, disse Lanza, em entrevista ao site italiano 422.com, sobre os dias de internação de Kubica.

De acordo com o médico, o polonês será monitorado de perto em sua residência e fará fisioterapia próximo de casa. “Conosco a reabilitação é menos específica, e já está feita em parte. O resto será feito por outros, como o seu médico (Dr. Cicarelli), que possui um centro dedicado às atividades esportivas".

Quanto ao retorno de Kubica, Lanza disse que as maiores lesões foram nos nervos, que levarão pelo menos seis meses para se regenerarem. As lesões neurais foram muito severas, e os médicos afirmam que não podem se comprometer a respeito de sua sua volta. O ortopedista não sabe ao certo se o piloto da Renault poderá retornar às corridas um dia, mas afirma que Kubica luta muito por sua recuperação e espera correr novamente.

“Ele é muito motivado. Talvez por causa de seu trabalho, ele costumava ter uma boa pegada no carro e demonstra isso em todos os aspectos da vida. Será uma estrada longa e será um milagre se ele recuperar a sensação suficiente para dirigir um carro de F1 no limite que costumava. É uma história fascinante de interesse humano”, finalizou o Dr. Francesco Lanza.

Enquanto Kubica não volta às pistas, Nick Heidfeld o substitui na Renault. A equipe francesa, que também conta com o russo Vitaly Petrov, vai bem na temporada até aqui. Foram dois pódios em três corridas. Petrov foi terceiro na Austrália. Mesma colocação de Heidfeld, na Malásia.

Leia tudo sobre: Robert KubicaLotus Renault

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG