Tamanho do texto

Ex-chefe de equipe sugere que a equipe italiana pare de pressionar Bernie Ecclestone

De acordo com Eddie Jordan, a prioridade da Ferrari deveria ser melhorar o desempenho de seu carro nesta temporada, e não pressionar Bernie Ecclestone por conta da iminência do fim do contrato com a CVC. O presidente da escuderia italiana, Luca di Montezemolo, chegou a cogitar uma “revolução” na gerência da Fórmula 1 após 2012, quando termina o contrato da atual detentora dos direitos da categoria com as equipes. A ideia foi ironizada por Bernie Ecclestone .

Siga o iG Automobilismo no Twitter .

“Não sei se eles querem estar em uma posição ainda mais privilegiada. Se eles puderem negociar um contrato melhor com Bernie, então boa sorte para eles, mas pode ser uma tarefa mais difícil do que eles pensam. Mas a Ferrari deveria apenas se concentrar na situação em que eles estão. Eles têm maiores problemas no momento do que tentar considerar em que campeonato eles vão correr e quem vai administrá-lo”, disse o britânico, que foi chefe de equipe da extinta Jordan entre 1991 e 2005, em entrevista ao site GP Update .

Segundo o ex-dirigente, a Ferrari ainda tem muito para melhorar nos seus carros, mas ainda não pode ser descartada no campeonato.

“Eles tiveram seu primeiro pódio da temporada na última corrida, e isso é muito ruim se comparado ao que estamos acostumados da Ferrari. Mas nunca considere-os acabados, porque Alonso estava 47 pontos atrás do líder em Silverstone no ano passado e chegou a liderar o mundial”, lembrou Jordan.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.