Publicidade
Publicidade - Super banner
Automobilismo
enhanced by Google
 

Heidfeld avalia problemas na Austrália que o impediram de pontuar

Piloto alemão explicou as razões que o deixaram muito abaixo de seu parceiro, Vitaly Petrov, no primeiro GP da temporada

iG São Paulo |

O piloto da Lotus Renault Nick Heidfeld explicou nesta quinta-feira, em nota divulgada no site da equipe, o motivo de terminar o GP da Austrália apenas na 14ª colocação. O resultado foi muito distinto do de seu companheiro, Vitaly Petrov, terceiro em Melbourne.

Reprodução
Carro de Nick Heidfeld após acidente com Sébastien Buemi no GP da Austrália.

Após um bom começo de corrida, em que pulou de 18º para 12°, o alemão se envolveu num acidente com Sébastien Buemi, da Toro Rosso, ainda na primeira volta, e teve seu carro seriamente danificado para o restante do circuito.

Heidfeld também sofreu com o uso do KERS (Sistema de Recuperação de Energia Cinética), que já havia dado problemas no treino classificatório, o que forçou o piloto a mudar as configurações de seu volante. A asa traseira foi mais um empecilho para o desempenho do alemão.

“Comecei a corrida com problemas no KERS, mas conseguimos contornar isso com nossas configurações. A asa traseira abriu e fechou por conta própria. Mesmo sob essas circunstâncias eu tentei meu melhor para terminar a prova, mas foi longe de ser divertido", disse Heidfeld.

"Não houve chance alguma de coletar informações sobre os pneus, e eu estava constantemente deslizando e gastando-os. Durante a corrida, estava bem claro que não conseguiria ganhar pontos e que não havia como atacar meus oponentes”, acrescentou o piloto.

“A corrida no domingo começou perfeita. Passei uma Sauber, mas então Buemi bateu no meu lado tentando uma manobra temperamental. Ele estava muito longe e não conseguia desacelerar mais. Pensei isso quando o vi no espelho e lhe dei um espaço no interior da curva 13. Ele me bateu com seu pneu esquerdo dianteiro e destruiu severamente meu carro pelo restante da corrida”, explicou o alemão.

Apesar dos problemas, Heidfeld reconheceu também o bom resultado de seu companheiro de equipe. “O terceiro lugar de Vitaly (Petrov) mostra que nosso carro é competitivo e que seremos capazes de brigar pelas primeiras posições. Essa foi a notícia positiva do fim de semana na Austrália e estou feliz pelo time e por Vitaly”, concluiu o piloto da Renault.

Leia tudo sobre: Nick HeidfeldLotus Renault

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG