Publicidade
Publicidade - Super banner
Automobilismo
enhanced by Google
 

GP de Mônaco já teve acidentes fatais, brigas e vitórias de Senna

Confira momentos de glória e de tristeza de uma das provas mais tradicionais da Fórmula 1

iG São Paulo |

Presente desde 1950 na Fórmula 1 – ano de estreia da categoria –, o Circuito de Mônaco, palco da sexta etapa da temporada no próximo domingo (29), é um dos mais tradicionais da F1. Além de clássica, a corrida em Monte Carlo é conhecida também pelo seu glamour – artistas, políticos e a família real de Mônaco são figuras carimbadas nas ruas do Principado durante os treinos e a prova.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

Mas, durante o fim de semana de GP, é para a pista de rua que os holofotes ficam voltados. E ali, quem reinou durante anos foi Ayrton Senna. O tricampeão mundial é o maior vencedor da história do circuito e foi responsável por vários dos momentos mais marcantes da prova.

Conhecido pelos poucos pontos de ultrapassagem, o circuito de Mônaco já foi palco também de diversos acidentes – alguns deles fatais. Para evitar problemas similares, a FIA acatou esta semana a solicitação dos pilotos de proibir o uso da asa traseira móvel no túnel durante os treinos.

A seguir, confira cinco momentos históricos do Grande Prêmio de Mônaco.

1) Onda inesperada

Logo na primeira volta da corrida de estreia do Circuito de Mônaco, em 1950, uma onda vinda do porto de Monte Carlo inundou a pista na altura da Curva da Tabacaria. Juan Manuel Fangio, que havia largado na pole position, conseguiu escapar. Mas Giuseppe Farina rodou, o que causou o empilhamento de mais oito carros. No fim, apenas sete dos 19 pilotos que iniciaram a prova conseguiram completá-la. A corrida também garantiu a Fangio o primeiro Grand Chelem da história da F1 – quando o vencedor larga na frente, lidera a prova de ponta a ponta e marca a volta mais rápida.

2) Derrota na última curva

O Grande Prêmio de Mônaco de 1970 traz más lembranças para Jack Brabham. Após assumir a liderança da prova na 27ª volta, o australiano bateu na última curva do giro final, quando tentava desviar de um retardatário. Com isso, Jochen Rindt herdou a vitória. A surpresa no circuito foi tamanha que o diretor da prova não deu a bandeirada quando o ganhador cruzou a linha final.

Getty Images
O brasileiro Nelson Piquet era piloto da Lotus em 1989

3) Briga de rua

Em 1989, Nelson Piquet e Andrea de Cesaris protagonizaram uma cena típica do trânsito das grandes cidades. Ocupando a quarta posição na corrida, o italiano bateu em Piquet – retardatário na ocasião – e os dois carros ficaram emperrados na pista. A batida gerou duas cenas curiosas: um pequeno congestionamento com outros competidores tentando ultrapassar a dupla que estava parada, e uma discussão teatral dos dois pilotos de dentro dos carros.

Reprodução
Ascari caiu no mar de Mônaco em 1955
4) O rei de Mônaco

Das dez vezes que correu no Principado, Ayrton Senna venceu em seis. Em outras duas, o tricampeão mundial subiu ao pódio. Os números fazem do brasileiro o maior vencedor do Grande Prêmio de Mônaco de todos os tempos. Já na sua temporada de estreia na Fórmula 1, em 1984, guiando uma Toleman, o piloto saiu da 13ª colocação para terminar em segundo, sob forte chuva. Senna também encerrou sua participação por lá em grande estilo, ao vencer em 1993. No ano seguinte, a corrida em Mônaco aconteceu logo após a morte do tricampeão, e diversas homenagens foram feitas ao ídolo.

5) Histórico de acidentes

O circuito de Mônaco foi responsável por alguns acidentes graves. Em 1955, Alberto Ascari liderava a prova na 80ª volta quando não conseguiu concluir a chicane, capotou por cima da barreira de proteção e mergulhou no mar de Mônaco. O piloto da Lancia saiu ileso da batida.

A mesma sorte não teve Lorenzo Bandini, em 1967. Bandini brigava pela primeira posição da prova quando, na 82ª volta, perdeu o controle do carro na chicane. O bólido capotou e pegou fogo com o piloto dentro. Bandini foi levado ao hospital ainda com vida, mas morreu três dias depois. Cinco anos antes, o circuito presenciara outra morte. O fiscal de prova Ange Baldoni morreu após ser atingido por um pneu do carro de Richie Ginther.

Leia tudo sobre: Monte CarloF1

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG