Dispositivo poderá ser usado na reta principal, em distância de até 830 metros

A Federação Internacional de Automobilismo (FIA) divulgou nesta quinta-feira (19) detalhes sobre o uso da asa traseira móvel no Grande Prêmio da Espanha. O dispositivo será utilizado na reta principal e poderá ser acionado a partir da linha de chegada. O sistema será desativado na freada para a curva 1. No total, a zona de utilização do recurso será de 830 metros.

Siga o iG Automobilismo no Twitter .

Entenda o uso da asa traseira móvel no GP da Espanha
Arte iG Automobilismo/Google Maps
Entenda o uso da asa traseira móvel no GP da Espanha

A asa traseira móvel é uma das novidades da Fórmula 1 nesta temporada . Quando muda a inclinação do dispositivo, o piloto altera a passagem do ar por seu carro e, consequentemente, as características aerodinâmicas do bólido, podendo ganhar até 15 km/h em sua velocidade. Durante as corridas, o recurso só pode ser utilizado por um piloto que está a no máximo a um segundo do adversário que pretende ultrapassar. Em Barcelona, a distância será detectada pouco antes da curva 16.

A utilização da asa traseira móvel é uma das apostas desta temporada para aumentar o número de ultrapassagens no Circuito da Catalunha, que não costuma oferecer muitas oportunidades para isto. De acordo com dirigentes como Martin Whitmarsh, chefe de equipe da McLaren, Sam Michael, diretor técnico da Williams, e Otmar Szafnauer, executivo-chefe da Force India, o GP da Espanha será o principal teste para o dispositivo . A opinião é partilhada por pilotos como Lewis Hamilton, da McLaren, Michael Schumacher, da Mercedes, e Jarno Trulli, da Team Lotus .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.