Tamanho do texto

De acordo com a autoridade, o espanhol não tirou vantagem da infração na briga com Michael Schumacher

A Federação Internacional de Automobilismo (FIA) decidiu não punir o espanhol Fernando Alonso, da Ferrari, nem a equipe italiana pelo uso ilegal da asa traseira móvel neste domingo, durante o Grande Prêmio da China . A entidade entendeu que a utilização equivocada do dispositivo não trouxe vantagens para o competidor.

Siga o iG Automobilismo no Twitter .

A infração aconteceu na reta oposta. A zona de ativação da asa móvel começava 750 metros antes da curva 14. Porém, enquanto Fernando Alonso tentava ultrapassar Michael Schumacher, o dispositivo só foi acionado no carro do espanhol nos últimos 500 metros da reta, o que fez com que o piloto ficasse com a asa aberta durante as curvas 14 e 15, trechos em que ela já deveria estar desativada.

De acordo com a Ferrari, a infração ocorreu somente em uma volta, e aconteceu por conta de um mau funcionamento no software que aciona e desliga a asa móvel.