Tamanho do texto

Imagem ficou famosa na metade da década de 1980, quando Ayrton Senna corria pela Lotus. Veja fotos

Nesta quarta-feira (24), Bruno Senna foi confirmado como piloto titular da Lotus Renault para o Grande Prêmio da Bélgica , que acontece neste domingo (28), às 9h (horário de Brasília). A escuderia mudou o nome e a cor de seu carro nesta temporada para homenagear a Lotus, tradicional equipe que fez sucesso entre as décadas de 1960 e 1990. Parte deste sucesso se deve ao tio de Bruno, Ayrton Senna, que, entre 1985 e 1987, correu pelo time e começou a se firmar como um dos grandes nomes da história da Fórmula 1 .

Siga o iG Automobilismo no Twitter

Nas duas primeiras temporadas em que correu pela Lotus (1985 e 1986), Ayrton Senna acostumou o mundo da F1 a vê-lo com carro preto e dourado, e capacete verde e amarelo, uma das combinações mais consagradas da categoria.

Agora, 25 anos depois, será possível relembrar essa combinação em uma prova da F1 (veja fotos). Vale lembrar que Bruno Senna já guiou uma Lotus Renault em um evento oficial nesta temporada – o brasileiro foi o 15º mais rápido no primeiro treino livre para o Grande Prêmio da Hungria .

A Lotus de Ayrton Senna de 1986 sobre a Lotus Renault de Bruno Senna de 2011
Getty Images
A Lotus de Ayrton Senna de 1986 sobre a Lotus Renault de Bruno Senna de 2011

Trajetória de Ayrton Senna na Lotus

Depois de uma boa temporada de estreia em 1984, quando conseguiu três pódios em 15 corridas pela Toleman, Senna foi contratado para correr pela Lotus no ano seguinte. Foi a bordo do carro preto e dourado que o brasileiro conseguiu sua primeira pole e sua primeira vitória na categoria, ambas no Grande Prêmio de Portugal de 1985, a segunda corrida da temporada. Com mais uma vitória e três pódios, o brasileiro terminou o campeonato na quarta colocação.

Em 1986, Senna manteve a quarta colocação no Mundial, mas subiu de produção: marcou 55 pontos, contra 38 do campeonato anterior. O brasileiro terminou o ano com duas vitórias, oito pódios e oito poles – uma a mais do que obteve em 1985.

No ano de despedida de Senna da Lotus, o carro da equipe não era mais preto e dourado – com patrocinador novo, o bólido passou a ser predominantemente amarelo. E foi justamente na última temporada com a equipe que o brasileiro conseguiu sua melhor colocação no Mundial: com duas vitórias, oito pódios e uma pole, o piloto terminou o campeonato em terceiro, com 57 pontos.

Em 1988, Senna transferiu-se pela McLaren e, logo em seu primeiro ano na equipe, foi campeão. Em 1990 e 1991, ainda correndo pela escuderia, o brasileiro conquistou seus outros dois títulos mundiais.

Veja o desempenho de Ayrton Senna correndo pela Lotus

Ano Corridas Vitórias Pódios Poles Pontos
1985 16 2 6 7 38
1986 16 2 8 8 55
1987 16 2 8 1 57

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.