Publicidade
Publicidade - Super banner
Automobilismo
enhanced by Google
 

Ex-presidente da FIA critica retorno do GP do Bahrein

Max Mosley afirma que medida custará caro para a Federação, ao menos que seja revogada

iG São Paulo |

O ex-presidente da FIA Max Mosley afirmou, em coluna no jornal britânico Daily Telegraph, que a reintegração do Grande Prêmio do Bahrein no calendário de 2011 da Fórmula 1 custará caro para a categoria. De acordo com o britânico, a única solução para esse problema é reverter a medida e tirar a etapa do campeonato.

Siga o iG automobilismo no Twitter

Em meio a um período de conflito no Bahrein, a FIA divulgou nesta sexta-feira (3) a reintegração da etapa árabe para o dia 30 de outubro. A prova havia sido suspensa por conta da instabilidade política no país, e corria risco de ser cancelada. Bernie Ecclestone, atual chefe da F1, aprovou a decisão.

“Ao concordar com essa corrida, a FIA torna-se cúmplice do que está acontecendo. Se torna uma ferramenta do governo do Bahrein”, afirmou Mosley. “A decisão de reintegrar esse GP é um erro que não será esquecido e, se não for revertido, custará caro à Fórmula 1”, completou.

Mosley também criticou o fato da FIA tomar decisões em assuntos que não tem total domínio. “Uma medida governamental não pode ser tomada por uma entidade esportiva. Política é feita por políticos”, afirmou Mosley. “Um administrador esportivo é eleito para trabalhar o esporte”, completou.

Leia tudo sobre: FIAGP do BahreinF1Max MosleyBernie Ecclestone

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG