Prova no país estava marcada para março, mas foi suspensa por falta de segurança e adiada para outubro

De acordo com a revista inglesa Autosport , a Associação de Equipes da Fórmula 1 (FOTA) enviou uma carta à Federação Internacional de Automobilismo (FIA), à Formula One Management (FOM), entidade administradora da categoria, e à organização do GP do Bahrein reclamando da nova data definida para a corrida.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

A prova no Golfo Pérsico estava marcada para março, mas foi suspensa pela falta de segurança diagnosticada após eclodirem revoltas populares contra o governo. Na última semana, o presidente da FOM, Bernie Ecclestone, anunciou que o GP do Bahrein foi remarcado para 30 de outubro , enquanto o da Índia foi transferido para 11 de dezembro .

No entanto, o próprio Ecclestone já admitiu que a decisão pode ter sido precipitada , pois um relatório apresentado pela FIA, atestando melhora na situação política do país, é impreciso. O ex-presidente da entidade máxima do automobilismo, Max Mosley, criticou a decisão e alertou que esse tipo de mudança no calendário é contra o artigo 66 do código esportivo internacional.

As equipes também reclamaram de problemas com a logística e pediram para o GP da Índia voltar ao dia 30 de outubro. Porém, afirmaram que estão abertas para discutir outra data para a etapa do Bahrein.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.