Prova em Montreal durou mais de quatro horas e foi definida na última volta. Confira cinco momentos decisivos

O Grande Prêmio do Canadá do último domingo (12) entrou para a história da Fórmula 1 como o mais longo de todos os tempos. Foram mais de quatro horas, contando a longa paralisação por causa da chuva . No final, Jenson Button conseguiu sua primeira vitória na temporada ao ultrapassar Sebastian Vettel nos metros finais da corrida.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

Mas a emoção do GP não ficou restrita à briga pela primeira posição. Muito pelo contrário. Bandeiras amarelas, paralisação, confusões de Lewis Hamilton e uma ultrapassagem de Felipe Massa na reta final coroaram uma das provas mais movimentadas dos últimos tempos da Fórmula 1.

Confira a seguir cinco momentos decisivos do Grande Prêmio do Canadá do último domingo.

1 – Protagonista indesejado

O clima em Montreal foi fator fundamental para o desenvolvimento da corrida. A chuva antes do início do GP fez com que a largada fosse dada com safety car na pista. Depois das primeiras 25 voltas, um temporal causou a paralisação da prova – foram mais de duas horas de interrupção.

Entre o início da prova e o retorno, a chuva deu trégua em alguns momentos. Foi quando pilotos como Fernando Alonso e Rubens Barrichello colocaram pneus intermediários. Quem não foi para os boxes e manteve pneus de chuva se deu bem. Caso de Kamui Kobayashi que, no momento da bandeira vermelha, ocupava a segunda colocação – o japonês acabou a corrida em sétimo.

2 – Agressivo até demais

Depois de se envolver em polêmicas no Grande Prêmio de Mônaco , Lewis Hamilton disse que manteria seu estilo agressivo . E o britânico cumpriu a promessa. Logo que o safety car deixou a pista, na quinta volta, o piloto da McLaren partiu para cima de Mark Webber, então na quarta colocação. Os dois se tocaram e Hamilton caiu para sétimo. O australiano se deu pior e despencou para 14º .

Na sequência, o competidor da McLaren passou o companheiro Jenson Button na pista, mas, na tentativa de superar também Michael Schumacher, errou e voltou a perder posição para o colega. Em novo ataque, Hamilton foi fechado por Button, não recolheu seu carro a tempo e danificou seu pneu, sendo obrigado a abandonar a prova. Button também foi prejudicado, já que teve de ir aos boxes para reparar os danos em seu bólido.

Depois da corrida, Hamilton jogou parte da culpa dos acidentes para cima de Button e Webber.

3 - O heptacampeão voltou?

Michael Schumacher voltou a mostrar em Montreal lampejos do desempenho que lhe rendeu sete títulos mundiais . Primeiro na 43ª volta, quando o alemão ultrapassou a Red Bull de Mark Webber em manobra difícil na curva 10. Mas o melhor estava por vir.

No 51º giro, quando ocupava a quarta colocação, Schumacher se aproveitou da briga por posição de Kamui Kobayashi e Felipe Massa, valendo o segundo lugar, para se aproximar. O alemão entrou na disputa e conseguiu ultrapassar os dois em uma só manobra, assumindo a vice-liderança.

Nas voltas finais, Schumacher foi superado por Jenson Button e Mark Webber e acabou em quarto, repetindo seu melhor resultado desde que voltou a correr.

4 – Massa deixa prova com raiva

O sexto lugar que Felipe Massa conquistou no Canadá acabou sendo pouco. Após largar em terceiro – seu melhor grid dos últimos nove meses – o brasileiro não conseguiu manter a posição após uma batida inesperada na 52ª volta.

Na tentativa de ultrapassar Narain Karthikeyan, que era retardatário, o ferrarista acabou passando por uma parte molhada da pista, perdeu o controle e bateu contra o muro, tendo de voltar para os boxes para reparar os danos.

A chance de ir ao pódio acabou ali para o brasileiro. Massa ainda conseguiu terminar em sexto – em um final emocionante, passou Kobayashi nos metros finais. Frustrado, o ferrarista disse que estava com raiva após a prova .

5 – Button faz corrida de recuperação e vence na última volta

O começo da prova canadense não parecia reservar glórias para Button. Isso porque, logo na oitava volta, o piloto teve de entrar nos boxes para reparar os danos em seu carro depois de batida com Hamilton. Na 14ª, o britânico pagou um drive-through após exceder o limite de velocidade com o safety car na pista.

Na 37ª volta, novo revés para Button. O piloto da McLaren se envolveu em acidente com Alonso e teve de retornar para a garagem outra vez a fim de recuperar os danos que seu carro sofreu. Começou aí, com pouco mais de metade da prova disputada, a reação do piloto.

A McLaren foi uma das primeiras equipes a chamar seu piloto para colocar pneus supermacios. Com isso, Button já aparecia na quarta colocação e virava uma volta mais rápida atrás da outra na perseguição a Sebastian Vettel, Michael Schumacher e Mark Webber. O britânico superou o australiano na 65ª volta, o alemão na 66ª e passou a voar na direção do líder do Mundial de Pilotos .

A pressão foi demais para Vettel. Na volta final, o alemão da Red Bull errou uma manobra e permitiu a ultrapassagem de Button , que garantiu ali sua primeira vitória na temporada. Um prêmio pela reação do piloto ao longo da corrida.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.