Circuito da Catalunha deveria sediar o GP da Espanha até 2016, mas governo ameaça quebrar contrato

O governo da Catalunha, na Espanha, disse nesta segunda-feira (9) que, por causa da difícil situação econômica, terá de repensar se continuará a sediar eventos da Fórmula 1 e da MotoGP . O Circuito da Catalunha , em Barcelona, faz parte do calendário da F1 desde 1991 e tem contrato para sediar o GP da Espanha até 2016.

Leia também: Volta ao trabalho rende comentários dos pilotos no Twitter

“Poderemos reconsiderar a realização de grande prêmios de Fórmula 1 e MotoGP. Não está claro para nós se conseguiremos arcar com os gastos na situação atual”, explicou Andreu Mas-Colell, ministro da economia da Catalunha, em entrevista à rádio espanhola RAC1 . “Não será a primeira coisa que vamos reconsiderar, mas em tempos como esse, precisamos olhar bem de perto em que estamos gastando o dinheiro”, acrescentou.

Mas-Colell afirmou que a situação deve ser analisada cuidadosamente para assegurar que uma possível quebra no contrato não custe mais do que receber a corrida. "Existem contratos que são mais caros de se manter do que de quebrar”, ressaltou o ministro.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

Os comentários de Mas-Colell surgem logo após o governo de Valência, também na Espanha, anunciar que vai tentar renegociar o contrato com a F1 para reduzir os custos da realização do GP da Europa. Único país a sediar duas provas da categoria, a Espanha corre o risco de ficar de fora do calendário a partir de 2013.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.