Chefe da categoria acredita que duas provas não são suficientes para conquistar o mercado do país

Bernie Ecclestone, chefe da Fórmula 1, duvida que a categoria venha a se tornar um grande sucesso nos Estados Unidos, mesmo com dois GPs no país a partir de 2013.

Leia também: Nico Hulkenberg comemora acerto com a Force India para 2012

A F1 volta aos Estados Unidos no próximo ano após quatro temporadas longe, no novo circuito de Austin , no Texas. Outro acordo foi firmado para uma prova em um circuito de rua em Nova Jersey , a partir do ano seguinte. Porém, Ecclestone acredita que duas corridas podem não ser suficientes para ganhar o mercado do país.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

“Teremos um máximo de duas corridas nos Estados Unidos, e, considerando que o país é tão grande quanto a Europa e temos várias provas na Europa, é difícil”, declarou o dirigente à Al Jazeera , emissora de televisão do Catar.“Se tivéssemos muito mais corridas e muito mais cobertura televisiva seria possível", acrescentou.

"Já estivemos lá anos atrás e é um pouco como o resto da América, em que eles querem ver um lucro antes de começar algo e não é fácil fazer isso”, apontou Ecclestone.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.