Tamanho do texto

Chefe da escuderia não está contente com F2012 e diz que novas soluções trouxeram problemas

O chefe da Ferrari, Stefano Domenicali, confessou não estar contente com o primeiro resultado obtido na construção do novo carro da escuderia italiana, o F2012 , embora prefira esperar para emitir um julgamento definitivo.

Leia também: Relaxado e otimista, Hamilton diz estar pronto para a temporada

Em um encontro com a imprensa em Milão, Domenicali afirmou que será preciso aguardar pelo menos quatro corridas para saber o nível que o monoposto poderá alcançar nas mãos do espanhol Fernando Alonso e do brasileiro Felipe Massa.

"Não estou contente com o carro porque não alcançamos o objetivo prefixado, não porque sejamos mais lentos que os demais. Não estou contente com a forma como nasceu o carro, mas o Mundial é bastante longo", avaliou o dirigente.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

"Tínhamos pedido aos engenheiros um carro extremo para recuperar a diferença frente à Red Bull. Eles nos deram uma solução de grande potencial (os sistemas de escapamento), mas que comporta ainda uma diminuição da sustentação e um superaquecimento dos pneus. Começamos de um modo diferente", explicou.

Essas palavras acompanham a linha de pessimismo do diretor técnico da Ferrari, Pat Fry, que descartou a possibilidade de um pódio na primeira corrida do ano , na Austrália, em 18 de março.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros leitores

No entanto, Domenicali demonstrou confiança em Felipe Massa, que "amadureceu" e hoje, em sua opinião, tem uma relação melhor com Alonso. "Pela primeira vez eles se falaram por telefone após os testes para trocar impressões", revelou.