Tamanho do texto

Ao contrário de Sam Michael e Jon Tomlinson, Adam Parr não deixará o comando da escuderia

Nesta terça-feira, a Williams anunciou uma grande reformulação em sua equipe técnica. Sam Michael e Jon Tomlinson pediram para sair da equipe , e a deixarão no fim do ano. Por outro lado, a escuderia contratou Mike Coughlan, pivô do escândalo de espionagem de 2007 . Em meio às mudanças, Adam Parr, diretor executivo, disse que também pediu para deixar o time.

Siga o iG Automobilismo no Twitter .

“Eu propus minha saída para Frank (Williams, chefe da equipe), Patrick (Head, co-fundador) e Toto (Wolff, acionista). Eu sou responsável e assumo a responsabilidade para fazer o que eles quiserem que eu faça”, disse Parr, revelando que os dirigentes recusaram sua demissão.

A Williams faz em 2011 seu pior começo de temporada da história. A equipe não conseguiu pontuar nas três primeiras corridas – é uma das quatro únicas zeradas, ao lado de Team Lotus, Virgin e Hispania. Mesmo assim, Parr não considera que a saída de Michael será boa para a escuderia.

“Com alguma relutância, eu aceitei sua saída, isso porque sou um grande apreciador de Sam. Trabalhamos juntos por cinco anos e eu estava ansioso para trabalhar ao seu lado por um bom tempo. Então, é um golpe, tanto pessoalmente quanto para a equipe”, opinou o diretor executivo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.