Publicidade
Publicidade - Super banner
Automobilismo
enhanced by Google
 

Confira cinco momentos marcantes da história do GP da Malásia

A prova que não acabou por causa da chuva, o único piloto malaio a correr em casa. Confira histórias do circuito de Sepang

iG São Paulo |

A Malásia receberá no próximo domingo a segunda etapa da temporada da Fórmula 1. Será o 13º Grande Prêmio da história do circuito de Sepang, um dos mais emocionantes do ano de acordo com Mark Webber. “Correr na Malásia é sensacional. É um circuito que sempre proporciona corridas interessantes”, afirmou o piloto da Red Bull nesta semana que antecede o GP. E a fama não se dá sem motivo. O traçado que mescla curvas de alta e baixa velocidade e as mudanças repentinas no clima já propiciaram muitas provas interessantes nos seus 12 anos de história. A mais marcante delas aconteceu por causa de uma forte chuva, que castigou a pista em 2009 e obrigou os fiscais de prova a cancelarem a corrida com menos de 75% das voltas completadas. Abaixo você pode conferir esta e outras histórias marcantes na história do Grande Prêmio da Malásia.

Siga o iG Automobilismo no Twitter.

1 – A corrida que não terminou
“Em alguns trechos parecia que estávamos dirigindo através de um rio”. A frase de Jenson Button reflete bem como foi a prova na Malásia em 2009. O britânico foi o vencedor, mas não levou os 10 pontos de praxe para o campeão. Ficou apenas com metade disso. O motivo foi o cancelamento da prova ainda na 32ª volta, de um total previsto para 56. Como menos de 75% da distância percorrida havia sido completada, apenas metade dos pontos foi dada aos primeiros colocados. Foi a primeira vez que isso aconteceu desde o Grande Prêmio da Austrália, em 1991.

Getty Images
Button venceu em 2009, mas só levou metade dos pontos

 

2 – Lar, doce lar
O ano de 2002 foi muito especial para o Grande Prêmio da Malásia. Não porque a corrida tenha sido muito emocionante. Mas sim porque, naquele ano, Sepang viu o único piloto malaio da história da Fórmula 1 correr em casa. Alex Yoong estreou na categoria no Grande Prêmio da Itália, em 2001. Mas só correu na Malásia uma vez. Antes da prova, havia grande expectativa no país – o piloto, então na Minardi, deixou até o lançamento de seu site oficial para a semana da corrida. Mas nas pistas as notícias não foram boas. Após largar na última posição do grid, o malaio pouco pode aproveitar seu momento histórico. Foram apenas 39 voltas completadas antes de abandonar a prova com problemas no câmbio.

3 – No topo pela primeira vez
Em 2001 Kimi Raikkonen estreava na Fórmula 1. Mas foi apenas em sua terceira temporada na categoria, em 2003, que o finlandês conseguiu alcançar o lugar mais alto do pódio. Sua primeira vitória aconteceu no dia 23 de março daquele ano, na Malásia. E olha que, após uma fraca sétima colocação nos treinos classificatórios, a esperança do piloto era pequena. Mas graças a uma ultrapassagem sobre Nick Heidfeld, da Sauber, e a competência da McLaren nas paradas, Raikkonen conseguiu assumir a ponta na 19ª volta e não perdeu mais o posto. Após a corrida, Raikkonen desabafou: “acho que a ficha ainda não caiu”. Em Sepang, o finlandês só venceu mais uma vez, em 2008.

4 – Sequência desfeita
Durante os seis anos em que estiveram juntos na Ferrari, Michael Schumacher e Rubens Barrichello estabeleceram diversas marcas significativas para a escuderia italiana. Foram cinco títulos de construtores, cinco de pilotos – sempre com o alemão – 58 vitórias e 127 pódios. Mas, na Malásia, a dupla protagonizou uma quebra de tabu negativa. Em 2005, quando entraram no circuito de Sepang, Rubinho e Schumi defendiam a marca de impressionantes 22 pódios consecutivos da equipe de Maranello na Fórmula 1. Mas já no treino classificatório a dupla decepcionou, com um 12º lugar para Barrichello e um 13º para Schumacher. Na prova, a situação não melhorou muito. O brasileiro teve de abandonar na 49ª volta. O alemão ainda conseguiu melhorar sua posição, mas acabou a corrida apenas em sétimo. Foi o fim da incrível sequência da Ferrari.

5 – O mais rápido
Pouca gente vai se lembrar da volta 55 do Grande Prêmio da Malásia de 2008. Kimi Raikkonen, que liderava a prova naquele momento, venceu a corrida sem dificuldades. O segundo e o terceiro colocados, Robert Kubica e Heikki Kovalainen, também se mantiveram em suas posições. Mas, para Nick Heidfeld, aquele penúltimo giro da prova foi marcante. Na Fórmula 1 desde 2000, o alemão (na Sauber à época) conseguiu pela primeira vez estabelecer uma volta mais rápida dentro de um GP. A marca foi conquistada 134 corridas após sua estreia na categoria, o que tornou Heidfeld o piloto que mais tempo demorou para alcançar um feito como esse.

 


 

Leia tudo sobre: malásiasepangschumacherbarrichello

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG