Pilotos como Barrichello e Senna usam a parte final da temporada para mostrar serviço e tentar garantir um lugar no grid de 2012

Faltando sete provas para o fim da temporada 2011 da Fórmula 1 , Sebastian Vettel caminha a passos largos rumo ao bicampeonato da categoria. Com 259 pontos, o alemão é líder isolado do Mundial , 92 pontos à frente do vice, Mark Webber. A diferença para seus rivais é tanta que, mesmo que Vettel não suba mais ao pódio nas próximas provas e termine todas em quarto, será campeão independentemente da classificação dos outros competidores.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

Além disso, a pontuação atual do alemão já é maior do que na temporada completa de 2010 : o piloto da Red Bull conquistou seu primeiro título na F1 no ano passado com 256 pontos. Fora Vettel, apenas quatro pilotos podem, matematicamente, sonhar com o título deste ano. Além de Webber, Fernando Alonso, Jenson Button e Lewis Hamilton.

E, ao menos em público, o quarteto não joga a toalha. Logo após o GP da Bélgica do último domingo (28), o espanhol da Ferrari afirmou que o título ainda é possível . “Não desistiremos, pelo menos até a matemática nos dizer o contrário”, disse. Webber também acredita em uma reviravolta . “Ainda faltam sete provas e tudo pode acontecer”, disse o australiano nesta quinta-feira (1) em sua coluna na BBC.

Mas se apenas para esse quinteto o título ainda está em jogo, o que buscam os outros 19 pilotos do grid? Muitos deles precisam usar esta parte final da temporada para mostrar serviço às equipes a fim de renovar seus contratos.

É o caso de Rubens Barrichello. O brasileiro da Williams tem acordo com a escuderia britânica somente até o fim deste ano e, para continuar quebrando o recorde de piloto com maior número de GPs da história , precisa alcançar resultados melhores nas últimas corridas e tentar superar seu companheiro, Pastor Maldonado. Parece a única forma de convencer a Williams a mantê-lo no time.

Rubens Barrichello ainda está sem contrato com a Williams para 2012
AP
Rubens Barrichello ainda está sem contrato com a Williams para 2012

Bruno Senna também tem de usar as sete provas restantes da temporada para tentar se firmar na Lotus Renault ou até cavar uma vaga em outra escuderia, já que, se Robert Kubica voltar a pilotar, tem lugar garantido na equipe francesa.

A situação de Felipe Massa é um pouco diferente. O piloto da Ferrari tem contrato até o fim de 2012, mas não está fazendo uma boa campanha neste ano. Com 74 pontos, é o único dentre os pilotos das principais equipes sem chance de título. Em 12 etapas até agora, Massa só conseguiu ficar à frente de Alonso em dois classificatórios e três GPs. O objetivo do brasileiro é mudar esse quadro na parte final da temporada.

Nas equipes pequenas e médias, os pilotos também lutam para conquistar bons resultados no fim deste ano. Na Toro Rosso, Jaime Alguersuari e Sébastien Buemi terão o resto da temporada e todo o ano de 2012 para apresentar bons resultados para a equipe. O objetivo de ambos é agradar o comando da Red Bull para, quem sabe, ser escolhido como substituto de Webber em 2013, quando o australiano deve se aposentar.

Quem também está na briga pela vaga na equipe taurina em 2013 é Daniel Ricciardo. Correndo pela Hispania, o jovem australiano é o preferido dos chefes da Red Bull. Mas a cúpula do time austríaco promete ficar de olho em seu desempenho e já alertou: antes de ir para a equipe, precisa terminar essa temporada com resultados melhores do que o seu companheiro de Hispania, Vitantonio Liuzzi.

Com esses ingredientes, é possível que nas próximas provas da temporada, além da briga na parte de cima do pelotão, com os pilotos tentando um último respiro para tirar o título de Vettel, exista também uma disputa intensa por posições intermediárias. O próximo GP do ano acontece no dia 11 de setembro , em Monza, na Itália.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.