Tamanho do texto

Projetista do carro de Senna em 1994 deixará a categoria depois de mais de 30 anos

Um dos fundadores da Williams, Patrick Head anunciou sua saída da Fórmula 1 . Head trabalhava na tradicional escuderia ao lado de Frank Williams desde 1977 e deixa agora o cargo de diretor de engenharia, buscando focar em um novo projeto da companhia, que visa melhorias do transporte público.

Leia também: Pilotos questionam jogo de equipe da Red Bull na rede

O inglês foi projetista da Williams em 1994 e considerado pela corte italiana como responsável pela morte do piloto Ayrton Senna. De acordo com a acusação, Head foi culpado pela falha na barra de direção, modificada a pedido do brasileiro. Mesmo com sua pena definida, Head não cumpriu o período de reclusão, pois sua sentença foi determinada somente 13 anos após o acidente.

"A palavra não é aposentadoria, mas não vou mais fazer parte diretamente do programa da Williams para a F1 no próximo ano. Vou trabalhar no projeto 'Williams Hybrid Power', de uma tecnologia bastante elevada. Pode parecer maçante, porque esportes a motor são bem interessantes, mas, para a companhia, são ônibus e trens interurbanos e é aí que o lado comercial deve estar", disse o projetista ao site da revista britânica Autosport .

Siga o iG Automobilismo no Twitter

Nesta temporada 2011, a Williams teve sua pior campanha na história, somando apenas cinco pontos e encerrando o ano com a nona posição no Mundial de Construtores . Após anunciar sua saída, Head se mostrou insatisfeito com o rendimento do time e de ter que sair da equipe em um momento delicado como este.

"Eu não tinha a ambição de encerrar meu envolvimento na F1 em uma temporada como essa. Mas cheguei à conclusão que não há mais justificativa para eu continuar fazendo a mesma coisa. Não é interessante para mim, não é bom para a companhia. Decidi mudar de foco agora", encerrou.