Alemão se tornou em Abu Dhabi o campeão mais jovem de todos os tempos na Fórmula 1. Relembre momentos marcantes da pista

Neste domingo (13), o GP de Abu Dhabi será palco da penúltima etapa da temporada da Fórmula 1 . Em sua curta história – está na categoria desde 2009 –, o circuito de Yas Marina já conta com alguns grandes momentos. Um deles, inesquecível. Foi ali, ano passado, que Sebastian Vettel se tornou o campeão mais jovem da história.

Leia também: Vettel vai em busca de recordes em prova especial de Abu Dhabi

Ao contrário desta temporada, a prova de 2010 foi a última do calendário e aconteceu sem o título definido. Na realidade, quatro pilotos ainda estavam na disputa, e Vettel era azarão.

O circuito já viveu também momentos menos nobres, como a impressionante batida envolvendo Michael Schumacher e Vitantonio Liuzzi, e uma trapalhada de Jaime Alguersuai, que confundiu os boxes da Toro Rosso com os da Red Bull. A seguir, relembre momentos marcantes do circuito de Yas Marina na F1.

Siga o iG Automobilismo no Twitter


Pensou que fosse Vettel

O primeiro GP da história de Abu Dhabi, no dia 1 de novembro de 2009, presenciou uma cena bastante inusitada. O então novato Jaime Alguersuari precisou fazer seu primeiro pit stop na 17ª volta, com problemas no câmbio. O problema é que a sua equipe, a Toro Rosso, ainda não estava pronta para a parada e os mecânicos não estavam a postos. O espanhol então confundiu sua escuderia com a Red Bull, que se preparava para trocar os pneus de Vettel.

Ele se dirigiu diretamente aos boxes da equipe austríaca, mas nem parou, já que o alemão estava chegando. Como resultado, o espanhol não conseguiu seguir por muito tempo na prova e teve de encostar seu carro ainda naquela volta. Além dele, apenas Lewis Hamilton não completou a corrida.

Disputa ferrenha pela segunda posição

A prova inaugural de Yas Marina foi bem tranquila e chegou a ser criticada pelas poucas chances de ultrapassagem. A situação do campeonato também não ajudava a dar emoção: Jenson Button havia se tornado campeão na corrida anterior, no Brasil. A Brawn também já tinha o título de Construtores garantido.

Porém, na última volta, Button e Mark Webber resolveram dar um pouco de graça à prova e travaram uma disputa ferrenha pela segunda posição. Button conseguiu se aproximar do australiano na parte final da corrida e deu início a uma verdadeira perseguição. No giro final, os dois chegaram a ficar lado a lado em mais de uma oportunidade e a briga durou até os metros finais. Webber conseguiu se defender do campeão e cruzou a linha de chegada em segundo lugar. Um pouco antes, Vettel havia recebido a bandeirada da vitória, garantindo o vice-campeonato daquele ano.

Acidente forte entre Schumacher e Liuzzi

Ao contrário do primeiro evento, no entanto, a segunda prova em Abu Dhabi foi decisiva para o campeonato. O título de 2010 não estava nem de longe decidido e quatro pilotos ainda brigavam pela conquista do Mundial: Fernando Alonso (com 246 pontos), Mark Webber (238 pontos), Sebastian Vettel (231 pontos) e Lewis Hamilton (222 pontos).

Vettel largou na pole position, seguido por Hamilton, Alonso, Button e Webber. Porém, quem roubou a cena na primeira volta foi Michael Schumacher. O alemão errou na disputa de posição com seu companheiro de Mercedes, Nico Rosberg, e rodou. O carro do heptacampeão parou na contramão, no meio da pista. Vitantonio Liuzzi, que vinha mais atrás com sua Force India, não teve tempo de desviar e bateu de frente com Schumacher, escalando o carro do alemão. A batida foi impressionante, mas nenhum dos pilotos saiu ferido. O acidente provocou a entrada do Safety Car.

Pesadelo de Alonso

Alonso foi outro que começou mal a prova do ano passado em Yas Marina. Largando em terceiro, o piloto da Ferrari garantiria o título se permanecesse nessa colocação até o fim. Porém, nos primeiros metros já foi ultrapassado por Jenson Button e chegou a ser ameaçado também por Webber.

No entanto, as dificuldades do espanhol estavam apenas começando. Na prova em que todos fizeram apenas uma parada, levaram vantagem os pilotos que foram aos boxes durante o período em que o Safety Car se encontrava na pista.

Não foi o caso de Alonso, que parou apenas na 15ª volta, retornando logo atrás de Vitaly Petrov. A tarefa de ultrapassar o russo da Renault, que parecia ser fácil, acabou se tornando um pesadelo. Apesar de todos os seus esforços, o espanhol ficou preso atrás de Petrov pelo resto da corrida e viu o sonho do tricampeonato se afastar a cada volta.

Alonso terminou em um surpreendente 7º lugar, ficando a quatro pontos do título e saindo como maior derrotado do dia. Após o fim da prova, irritado, o espanhol descontou sua frustração em Petrov: emparelhou seu carro ao lado da Renault e começou a reclamar com o russo, acenando impacientemente com as mãos. Alonso também não foi cumprimentar o vencedor Vettel, em um dia que certamente prefere esquecer.

Vettel faz história e não segura o choro

Vettel chegou ao fim de semana do GP de Abu Dhabi com um grande desafio. Ainda sem ter aparecido no topo da classificação do Mundial de 2010, o alemão precisava tirar uma desvantagem de 15 pontos para Alonso e sete pontos para Webber para sair de lá com o título.

E o jovem de 23 anos soube agir sob pressão. Primeiro conquistou a pole position, sua décima na temporada. Depois, liderou praticamente toda a prova – só deixou a ponta temporariamente quando foi para os boxes.

Por fim, Vettel recebeu a bandeirada da vitória, mas só comemorou quando viu Alonso cruzar a linha de chegada em sétimo, seguido por Webber – os dois sem mais chances de título. Muito emocionado, chorando copiosamente, o alemão mal conseguiu agradecer a equipe pelo rádio.

A comemoração continuou no pódio de Abu Dhabi, que teve um toque especial: contou com os últimos três campeões da categoria, Vettel (2010), Hamilton (2008) e Button (2009). No degrau mais alto, estava o mais jovem campeão da história da Fórmula 1.

Confira a programação completa do fim de semana da Fórmula 1 em Abu Dhabi*:

Primeiro treino livre: 7h (sexta-feira)

Segundo treino livre: 11h (sexta-feira)

Terceiro treino livre: 8h (sábado)

Treino classificatório: 11h (sábado)

Corrida: 11h (domingo)

* Sempre pelo horário de Brasília

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.