Tamanho do texto

Terceiro lugar é suficiente para o alemão comemorar o título em Suzuka e se tornar o bicampeão mais jovem da história. Massa é 7º

Com quatro corridas de antecedência, Sebastian Vettel se tornou bicampeão mundial de Fórmula 1 . Neste domingo (9), Jenson Button venceu o Grande Prêmio do Japão, mas não conseguiu estragar a festa do piloto da Red Bull , terceiro colocado na prova – ele precisava de apenas um ponto para garantir a taça. Fernando Alonso, em segundo, completou o pódio.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

A conquista veio para coroar uma temporada dominante do alemão , que largou 12 vezes na pole, venceu nove vezes e obteve 14 pódios neste ano. Com o título, Vettel, com 24 anos e três meses, se tornou o bicampeão mais jovem da história da F1, superando Alonso.

Terceiro lugar no Japão definiu o título de Sebastian Vettel
AP
Terceiro lugar no Japão definiu o título de Sebastian Vettel

Graças à conquista de Vettel, a Alemanha superou o Brasil na lista dos países com mais títulos de F1. Os dois do piloto da Red Bull, somados ao heptacampeonato de Schumacher, colocam os alemães no topo do ranking, ao lado da Inglaterra. As duas nações têm nove taças.

Dentre os brasileiros, o melhor foi Felipe Massa, que acabou a prova na sétima colocação. Bruno Senna foi 16º e Rubens Barrichello, 17º.

Vettel mantém a liderança na largada

Nos primeiros metros da prova, Button tentou o ataque sobre Vettel, que conseguiu se defender. O piloto da McLaren chegou a reclamar da manobra do rival, mas os fiscais de prova não acharam que o alemão merecia ser punido. O britânico acabou sem espaço e perdeu posição para seu companheiro de equipe, Lewis Hamilton, que assumiu a vice-liderança.

Massa, Alonso e Mark Webber mantiveram suas posições na largada. Senna e Barrichello largaram mal, caindo para 13º e 16º, respectivamente, na primeira volta.

Líder, Vettel passou a imprimir um ritmo forte, baixando o tempo da melhor volta giro após giro. Enquanto isso, Alonso partiu para o ataque sobre Massa, seu companheiro de Ferrari. O espanhol conseguiu superar o brasileiro na sexta volta. No pelotão intermediário, Barrichello passou Senna e Maldonado e retornou ao 13º lugar, posição em que largou.

Na oitava volta, Hamilton passou a perder desempenho e foi superado por Button . O campeão mundial de 2008 teve de ir aos boxes e voltou em 11º. Vettel parou no giro seguinte, retornando à pista na sexta colocação.

Button, Alonso e Webber pararam juntos, no 12º giro e deixaram a garagem na mesma ordem em que entraram. Quem se deu mal após a primeira rodada de pit stops foi Hamilton, que caiu de segundo para quarto.

Desgaste dos pneus é elevado

Os carros da Red Bull tiveram de fazer a segunda parada já na 20ª volta. Os mecânicos da escuderia foram bem na parada, e o carro de Vettel foi liberado rapidamente, não comprometendo o pit stop de Webber.

No giro seguinte, Button fez sua parada. O britânico da McLaren conseguiu voltar na frente de Vettel. Enquanto isso, Massa tentou o ataque sobre Hamilton e os dois chegaram a se tocar na tentativa de ultrapassagem do brasileiro . O britânico se deu mal após a segunda rodada de pit stops, caindo para a sétima colocação. Webber, por outro lado, ganhou duas posições e passou para quarto.

Na volta 24, o Safety Car foi chamado para a pista por conta do pedaço do carro de Massa que se soltou após o contato com Hamilton . O carro de segurança deixou a pista somente no giro 27, o que aproximou os primeiros colocados.

Vettel inaugura a terceira rodada dos pit stops

No 34º giro, Vettel, que estava com desempenho inferior ao de Button, trocou seus pneus pela terceira vez na prova. Como o alemão não tinha mais compostos macios, os médios passaram ser usados. Na volta seguinte, Webber, seu companheiro de Red Bull, tomou a mesma iniciativa.

Na terceira parada, Vettel perdeu posição para Alonso, que passou para a vice-liderança. Massa também não se deu bem, já que foi ultrapassado por Hamilton no retorno à pista.

Com os pneus médios, os carros da Ferrari perderam desempenho e Vettel partiu para o ataque sobre Alonso. O ferrarista, no entanto, conseguiu manter a vice-liderança e ainda ensaiou um ataque sobre Button nas voltas finais, mas não obteve sucesso.

Veja a classificação completa do Grande Prêmio do Japão:

1 – Jenson Button (GBR) – McLaren – 53 voltas
2 – Fernando Alonso (ESP) – Ferrari – a 1s1
3 – Sebastian Vettel (ALE) – Red Bull – a 2s0
4 – Mark Webber (AUS) – Red Bull – a 8s0
5 – Lewis Hamilton (GBR) – McLaren – a 24s2
6 – Michael Schumacher (ALE) – Mercedes – a 27s1
7 – Felipe Massa (BRA) – Ferrari – a 28s2
8 – Sergio Pérez (MEX) – Sauber – a 39s3
9 – Vitaly Petrov (RUS) – Lotus Renault – a 42s6
10 – Nico Rosberg (ALE) – Mercedes – a 44s3
11 – Adrian Sutil (ALE) – Force India – a 54s4
12 – Paul di Resta (GBR) – Force India – a 1min02s3
13 – Kamui Kobayashi (JAP) – Sauber – a 1min03s7
14 – Pastor Maldonado (VEN) – Williams – a 1min04s1
15 – Jaime Alguersuari (ESP) – Toro Rosso – a 1min06s6
16 – Bruno Senna (BRA) – Lotus Renault – a 1min12s6
17 – Rubens Barrichello (BRA) – Williams – a 1min14s1
18 – Heikki Kovalainen (FIN) – Team Lotus – a 1min27s8
19 – Jarno Trulli (ITA) – Team Lotus – a 1min36s1
20 – Timo Glock (ALE) – Virgin – a 2 voltas
21 – Jérôme D’Ambrosio (BEL) – Virgin – a 2 voltas
22 – Daniel Ricciardo (AUS) – Hispania – a 2 voltas
23 – Vitantonio Liuzzi (ITA) – Hispania – a 3 voltas
24 – Sébastien Buemi (SUI) – Toro Rosso – abandonou

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.