Britânico cruzou a linha de chegada à frente do alemão. Alonso completou o pódio. Massa foi sexto e Barrichello, 13º

Em corrida com a emoção garantida pela chuva em Hungaroring , Jenson Button venceu o Grande Prêmio da Hungria . A McLaren tomou as decisões certas na estratégia do britânico, que fez neste domingo (31) sua 200ª corrida na Fórmula 1 . Com isso, Button – que na noite de sábado (30) foi alvo de hackers, que invadiram seu site oficial e publicaram falsa notícia, dizendo que o piloto tinha sofrido acidente grave e estava internado – venceu sua segunda corrida na temporada .

Siga o iG Automobilismo no Twitter

Button cruzou a linha de chegada na frente de Sebastian Vettel , da Red Bull, líder do Mundial de Pilotos . Fernando Alonso, da Ferrari , completou o pódio – o espanhol se aproveitou da estratégia errada de Lewis Hamilton e da punição que o piloto da McLaren sofreu. O britânico terminou em quarto, na frente de Mark Webber. Felipe Massa, prejudicado por uma má largada e por um erro , terminou em sexto. Rubens Barrichello foi o 13º .

Button celebra triunfo no dia em que completa 200 corridas na Fórmula 1
AP
Button celebra triunfo no dia em que completa 200 corridas na Fórmula 1

Pista molhada traz emoção nas primeiras voltas

A corrida começou com chuva em Hungaroring. Foi apenas a segunda vez na história do Grande Prêmio da Hungria , disputado desde 1986 nesta pista, que a prova foi disputada com pista molhada. Por isso, a largada ganhou em emoção.

Lewis Hamilton, que partiu em segundo, não largou bem, permitindo que Vettel disparasse na liderança. O britânico chegou a ser atacado por seu companheiro de equipe, Jenson Button, mas se manteve na vice-liderança. A Mercedes se destacou na largada – Rosberg pulou para quarto e Schumacher para quinto, derrubando Alonso para sexto, Massa para sétimo e Webber para oitavo.

Após cair, a Ferrari começou a se recuperar na pista. Alonso e Massa ultrapassaram Schumacher e começaram a brigar pela quinta posição. Antes disso, o espanhol havia ultrapassado Rosberg, mas espalhou e permitiu que o alemão recuperasse sua colocação.

Enquanto isso, Hamilton atacava Vettel pela liderança da corrida. O líder do Mundial de Pilotos se defendeu bem até a quinta volta, quando espalhou e permitiu a ultrapassagem do britânico. Deste modo, o alemão passou a receber o ataque de Button em briga válida pelo segundo lugar.

Na briga pela quinta posição, Alonso e Massa erraram. O espanhol chegou a permitir a ultrapassagem do brasileiro após deixar o traçado, mas recuperou sua posição. Na tentativa de passar o companheiro de equipe novamente, o brasileiro rodou e chegou a bater no muro. Conseguiu voltar para a prova, mas apenas em nono.

Livre do ataque do brasileiro, o espanhol, com auxílio da asa traseira móvel, conseguiu ultrapassar Nico Rosberg para assumir a quarta colocação. Alonso passou então a imprimir um ritmo mais forte, na tentativa de perseguir Jenson Button.

Pneus supermacios na pista

A partir da 11ª volta, os pilotos que não estavam em boa situação na corrida foram aos boxes para colocar os pneus supermacios, já que um trilho seco estava começando a se formar na pista. Mark Webber, da Red Bull, e Felipe Massa, da Ferrari, foram os primeiros a tomar essa iniciativa.

Na 13ª volta, Hamilton e Vettel, os dois primeiros da corrida, pararam ao mesmo tempo. O britânico não teve problemas para manter sua vantagem, mas o alemão passou a sofrer o ataque de Button, da McLaren. O alemão foi superado pelo adversário e caiu para terceiro, na 14ª volta – mesmo giro em que Webber passou Alonso para assumir a quarta colocação.

Lotus Renault pega fogo e assusta Heidfeld

Na 24ª volta, quando começou a segunda rodada de pit stops, Nick Heidfeld foi um dos primeiros a parar. Na saída dos boxes, no entanto, sua Lotus Renault pegou fogo, em cena assustadora. O piloto conseguiu sair rapidamente e não sofreu maiores problemas, mas causou bandeira amarela.

Por isso, os demais competidores também aproveitaram para trocar seus pneus. Quem se deu mal no processo foi Vettel, que voltou na terceira posição – na saída dos boxes, os fiscais estavam retirando o carro de Heidfeld, o que fez com que o alemão perdesse tempo. O competidor voltou pouco à frente de seu colega de equipe, Mark Webber, que aparecia na quarta colocação.

Vettel conseguiu abrir quando Webber passou a se preocupar com o ataque de Fernando Alonso. Enquanto isso, Massa, que voltou bem depois da segunda parada, se recuperava na pista e, após ultrapassagens sobre Nico Rosberg e Kamui Kobayashi, já aparecia na sexta colocação.

Último jogo de pneus supermacios é utilizado

A partir da 37ª volta, os pilotos partiram para a terceira parada para colocar o último jogo de pneus supermacios disponível. Fernando Alonso e Rubens Barrichello foram os primeiros a irem para os boxes – e o espanhol voltou imprimindo um ritmo muito forte.

No giro 42, no entanto, Sebastian Vettel adotou uma estratégia diferente. O alemão colocou os pneus macios – tipo de composto mais duro do fim de semana. O líder do Mundial de Pilotos voltou na quarta colocação, atrás de Alonso. Na 45ª volta, após ver os pneus do espanhol se desgastarem, Vettel partiu para o ataque sobre o ferrarista e o superou.

Na 47ª volta, Hamilton errou e rodou na pista. Com isso, o britânico permitiu a ultrapassagem de Button, seu companheiro de equipe, e a aproximação de Vettel.

Chuva volta e apimenta briga pela ponta

Com a volta da chuva, a pista voltou a ficar molhada, dificultando a vida dos pilotos, que estavam com pneus slick. Button chegou a errar, permitindo a ultrapassagem de Hamilton, que assumiu a ponta. Button devolveu a manobra, mas permitiu nova recuperação do colega, que retomou a liderança. Vettel também errou, se afastando dos rivais da McLaren.

Na 53ª volta, Hamilton foi para os boxes para colocar os pneus intermediários. A estratégia não deu certo – dois giros depois, ele, após cair para quarto, teve de retornar aos boxes para colocar compostos macios. Além disso, o britânico recebeu uma punição de drive-through por voltar à pista de maneira insegura após rodar, e se afastou da briga pelo pódio.

Após a punição de Hamilton, Massa subiu para a quarta colocação. Porém, logo o brasileiro foi ultrapassado por Webber e pelo próprio britânico, e caiu para sexto. Em terceiro, Alonso errou e rodou, mas não chegou a permitir a aproximação de Webber. O australiano passou, ainda, a sofrer o ataque de Hamilton, que o ultrapassou na 64ª volta.

Na frente, Button, Vettel e Alonso não encontraram problemas para manterem suas posições e garantirem o pódio em Hungaroring.

Confira o resultado completo do GP da Hungria:

1 – Jenson Button (GBR) – McLaren – 70 voltas
2 – Sebastian Vettel (ALE) – Red Bull – a 3s5
3 – Fernando Alonso (ESP) – Ferrari – a 19s8
4 – Lewis Hamilton (GBR) – McLaren – a 48s3
5 – Mark Webber (AUS) – Red Bull – a 49s7
6 – Felipe Massa (BRA) – Ferrari – a 83s1
7 – Paul di Resta (GBR) – Force India – a 1 volta
8 – Sébastien Buemi (SUI) – Toro Rosso – a 1 volta
9 – Nico Rosberg (ALE) – Mercedes – a 1 volta
10 – Jaime Alguersuari (ESP) – Toro Rosso – a 1 volta
11 – Kamui Kobayashi (JAP) – Sauber – a 1 volta
12 – Vitaly Petrov (RUS) – Lotus Renault – a 1 volta
13 – Rubens Barrichello (BRA) – Williams – a 2 voltas
14 – Adrian Sutil (ALE) – Force India – a 2 voltas
15 – Sergio Pérez (MEX) – Sauber – a 2 voltas
16 – Pastor Maldonado (VEN) – Williams – a 2 voltas
17 – Timo Glock (ALE) – Virgin – a 4 voltas
18 – Daniel Ricciardo (AUS) – Hispania – a 4 voltas
19 – Jérôme D’Ambrosio (BEL) – Virgin – a 5 voltas
20 – Vitantonio Liuzzi (ITA) – Hispania – a 5 voltas
21 – Heikki Kovalainen (FIN) – Team Lotus – Abandonou
22 – Michael Schumacher (ALE) – Mercedes – Abandonou
23 – Nick Heidfeld (ALE) – Lotus Renault – Abandonou
24 – Jarno Trulli (ITA) – Team Lotus – Abandonou

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.