Britânico, que venceu o GP da Hungria, está a 100 pontos do líder do campeonato

Nada menos que 100 pontos separam o líder da temporada deste ano da F1, Sebastian Vettel, de Jenson Button , vencedor da última etapa do calendário, o Grande Prêmio da Hungria , no último fim de semana. A diferença, no entanto, parece não importar para o inglês da McLaren, que acredita que pode encostar no atual campeão e buscar seu segundo título na categoria.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

"Estou 100 pontos atrás de Sebastian, então será desafiador, mas nós gostamos de um desafio. Eu nunca desisto, então vamos ver o que pode acontecer. Vou encarar cada corrida como se fosse a última e depois olhar os pontos no fim do ano", garantiu Button, que tem 134 pontos, contra 234 do alemão.

O que respalda a postura de Button é a melhoria do desempenho da McLaren nas últimas etapas do calendário. A Red Bull de Vettel, dominante em boa parte das corridas do início de 2011, caiu de rendimento, enquanto os ingleses chegaram em primeiro com ambos os pilotos.

"Nosso ritmo estava muito forte, mas não acho que tenha muita diferença entre nós, Ferrari e Red Bull. Nós vencemos três das últimas cinco corridas e cada um de nossos principais rivais conquistaram apenas uma neste período, então estamos fazendo algo certo", acrescentou.

Seu companheiro de equipe, Lewis Hamilton, que está em terceiro no Mundial de Pilotos com 146 conquistados, também partilha do pensamento positivo da McLaren. "Temos 200 pontos para vencer e eu entro em todas as corridas pensando que posso vencer. Estamos para visitar lugares muito especiais: Spa-Francorchamps, Monza, Suzuka e Interlagos, que fazem parte das grandes pistas deste esporte. Você realmente sente a alma delas e sua história", exaltou.

No Campeonato de Construtores, a McLaren tem 103 pontos a menos do que a Red Bull . Mas, se depender de seus pilotos, a diferença é possível de ser tirada. Hamilton, por sua vez, prevê muita emoção na etapa brasileira, em novembro, a última do ano. "Nós vamos para estas corridas com três times lutando com ritmos semelhantes no topo, será competitivo e dramático correr no Brasil no fim da temporada", concluiu.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.