Tamanho do texto

Brasileiro faz hoje sua estreia pela Williams nos testes de Jerez de la Frontera

O nome Senna nunca passará despercebido no Brasil e no mundo da Fórmula 1. E Bruno, novo integrante da família na categoria, sabe bem disso. O piloto brasileiro, de 28 anos, diz que sua família o apoia totalmente em sua carreira, em que tenta seguir os passos de seu tio tricampeão mundial Ayrton, mas reconhece que o sentimento de dor do passado sempre estará presente.

Leia também: Senna recebe a visita de Kaká nos testes em Jerez

Apesar das lembranças sobre o tio, Bruno Senna revelou que está tranquilo em correr pela Williams neste ano. "Este é o início da história, para dizer a verdade. Muitas pessoas me perguntam como minha família se sentia sobre vir para a Williams e tudo mais. Todo mundo está super feliz. Meu avô (Milton, pai de Ayrton), todo mundo, porque todo mundo trabalhou muito para que isso acontecesse", acrescentou.

Ayrton morreu dentro de um carro da Williams após um acidente no Grande Prêmio de San Marino em 1994. O Brasil e a Fórmula 1 ficaram de luto com a morte do ídolo. Entretanto, ele pensa que desta vez será diferente."Acredito que esse será um ótimo e bonito capítulo", disse um animado Bruno à Reuters , em entrevista no circuito de Jerez onde ele fará sua estreia pela Williams nesta quinta-feira (9), nos testes de pré-temporada da Fórmula 1.

A Williams oferece uma oportunidade para Bruno mostrar que merece estar na categoria por seu próprio talento e não apenas pelo sobrenome e os patrocínios que leva consigo. "Eles sabem que a equipe é forte, uma equipe com bom pedigree. Espero que a gente possa voltar ao topo juntos".

Início na Fórmula 1

Apesar de ter estreado na Fórmula 1 em 2010 com a pequena Hispania e de ter disputado oito corridas pela Renault, atual Lotus, no ano passado, o teste de quinta-feira (9) será o seu primeiro numa pré-temporada desde que disputou o campeonato da GP2 em 2008.

Sobre este início, ele afirmou que não considera que teve grandes condições de mostrar seu talento. "Estou na Fórmula 1 há dois anos, mas não correndo há dois anos. Corri oito provas e o restante foi apenas participar".

Siga o iG Automobilismo no Twitter

Bruno Senna também afirmou que período de testes será importante para colocá-lo na briga, e lembrou de sua passagem na GP2. "As vezes que tive a mesma oportunidade que os outros caras (de testar), e 2008 é um grande exemplo disso, eu estava lá. Fui competitivo em todas as provas, tive uma ou duas corridas ruins, mas todo mundo tem, e briguei pelo campeonato".

O certo é que o piloto brasileiro vai tentar honrar o sobrenome que carrega da melhor maneira possível. "Esse é o meu objetivo outra vez. Ter as mesmas chances que os outros caras, sentar no carro e ser competitivo, vencer os caras com quem estou competindo", disse Bruno, que ocupou na Williams a vaga do compatriota Rubens Barrichello , que ficou sem espaço na Fórmula 1.