Publicidade
Publicidade - Super banner
Automobilismo
enhanced by Google
 

Bruno Senna celebra estratégia agressiva após primeiros pontos

Após acidente na primeira volta, piloto foi para os boxes para tirar os pneus médios e usar apenas macios

Gazeta |

O brasileiro Bruno Senna apontou a estratégia agressiva adotada no Grande Prêmio da Itália de Fórmula 1 como principal trunfo para encerrar a corrida na nona colocação e conquistar seus primeiros pontos na categoria. Largando com pneus médios, ele perdeu posições ao desviar do acidente da primeira curva e foi aos boxes já na terceira volta. Depois, fez mais dos pit stops, colocando sempre compostos macios.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

"A gente foi para uma estratégia agressiva, usou três jogos de pneus macios. Era arriscado, mas conseguimos fazer funcionar. Estou super contente e já quero ir para a próxima", disse o brasileiro, que precisou sair da pista para desviar dos carros envolvidos no acidente causado por Vitantonio Liuzzi na primeira curva.

"Eu estava no lugar errado e na hora errada, fui lá para trás e perdi o trabalho que tinha feito na classificação", apontou o piloto, décimo colocado no treino classificatório. No acidente da primeira curva, seu companheiro de equipe, o russo Vitaly Petrov, abandonou a prova.

Após a primeira troca de pneus, Senna teve à sua frente um pelotão de carros com rendimento inferior ao seu e realizou uma corrida de recuperação, com algumas ultrapassagens. A última foi sobre o suíço Sébastien Buemi, já nas voltas finais, para garantir a nona colocação.

"Hoje foi muito legal, fiz muitas ultrapassagens, também cometi alguns erros e aprendi com eles. Mas não foi fácil, foi bem difícil. A corrida é longa, então não adianta ir para cima no começo com muito vigor", explicou.

A próxima prova do Mundial de Fórmula 1 é o Grande Prêmio de Cingapura, corrida em que Senna pretende melhorar seu desempenho. "Espero que da próxima vez a gente consiga ir melhor. Aqui é sempre emocionante, tem muito trabalho físico, porque você fica sempre no limite do carro e não tem oportunidade de descansar. Felizmente funcionou", afirmou.

Leia tudo sobre: Bruno SennaF1Lotus Renault

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG