Publicidade
Publicidade - Super banner
Automobilismo
enhanced by Google
 

Brawn acredita que equipes vão se arrepender de saída da Fota

Chefe da Mercedes afirmou que os times restantes na entidade continuam muito comprometidos

Gazeta |

O Acordo de Restrição de Gastos, imposto pela Associação das Equipes da Fórmula 1 (Fota), causou muita reclamação entre as escuderias e motivou equipes como Red Bull, Ferrari, Sauber e Toro Rosso a deixarem o grupo. No entanto, o chefe da Mercedes, Ross Brawn, defendeu a entidade e afirmou que os times restantes continuam comprometidos.

Leia também: Hulkenberg lidera manhã da quarta-feira de testes em Barcelona

"Estamos muito comprometidos com a Fota e achamos que é uma pena que tenhamos perdido integrantes, porque podemos nos arrepender", opinou Brawn. "Quando houve uma crise, a pressão externa uniu a Fota, agora que não tem tanta pressão externa, a competitividade natural dos times está nos afastando", acrescentou.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

Segundo o dirigente, a Fota será importante em outros momentos e não se limita apenas ao acordo, assumindo outras funções dentro do automobilismo. "Estamos muito enganados em não reconhecer que a Fota tem um papel muito importante a desempenhar. É uma característica infeliz da Fórmula 1 todos nós acharmos muito difícil nos unir", afirmou.

Brawn reforçou que os times ainda podem se arrepender da divisão e lembrou a importância de trabalhar para a categoria e não para algumas equipes. "Acredito muito na Fota, mas obviamente estou desapontado com o que aconteceu nos últimos meses. Espero que a gente não se arrependa disso, pois um dos objetivos da Fota era encontrar as soluções corretas para a Fórmula 1, não apenar as soluções certas para cada time", destacou.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros leitores

O dirigente ainda se mostrou a favor do Acordo de Restrição de Gastos, que tem como objetivo proporcionar condições iguais a todos as equipes que compõem a categoria. "É muito importante. Temos que encontrar alguma maneira de conter os gastos, e os regulamentos, técnico e formal, são parte do caminho", concluiu.

Leia tudo sobre: f1mercedesross brawnfotaacordo de restrição de gastos

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG