Publicidade
Publicidade - Super banner
Automobilismo
enhanced by Google
 

Brasileiros dominam curta história do Circuito de Valência

Massa e Rubinho venceram duas das três provas no local, que já teve acidente de Webber e atropelamento de mecânico. Veja momentos

iG São Paulo |

Neste domingo (26), o Grande Prêmio da Europa acontecerá pela quarta vez em Valência. A prova começou a ser disputada em 1983, em Kent, Reino Unido – com vitória de Nelson Piquet – e passou ainda por Leicestershire – também na Grã-Bretanha –, pela espanhola Jerez e pela alemã Nurburg.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

Desde que chegou a Valência, a corrida trouxe boa sorte para os brasileiros – são duas vitórias em três corridas até aqui – incluindo a centésima do país na Fórmula 1, com Rubens Barrichello. Sebastian Vettel, atual campeão do mundo e líder do Mundial de Pilotos, foi outro que deixou a cidade espanhola com um triunfo.

Porém, momentos tristes também marcaram a prova em sua atual sede, como uma homenagem póstuma, um mecânico atropelado e um acidente espetacular. Relembre esses e outros momentos que marcaram a F1 em Valência a seguir:

1) Início melancólico

A cidade de Valência recebeu a Fórmula 1 pela primeira vez no dia 22 de agosto de 2008, quando aconteceram na cidade os dois primeiros treinos livres para o Grande Prêmio da Europa daquela temporada. Dois dias antes, no entanto, a Espanha foi abalada por uma tragédia: o acidente com o voo Spanair Flight 5022, que bateu logo após ter decolado de Madri e vitimou 146 pessoas.

Em homenagem póstuma, os pilotos respeitaram um minuto de silêncio entre o primeiro treino livre – liderado por Sebastian Vettel, ainda na Toro Rosso – e o segundo, no qual Kimi Raikkonen foi o mais rápido com sua Ferrari. Apenas um espanhol, Fernando Alonso, participou das atividades.

2) Ferrari e as lambanças nos boxes

Na primeira corrida em Valência, disputada em 2008, a Ferrari deixou uma má impressão para os fãs locais. Primeiro com Felipe Massa – que venceu a prova, é bem verdade. Porém, na volta 37, em seu primeiro pit stop, o brasileiro, que participava de seu centésimo GP na categoria, quase bateu na Force India de Adrian Sutil ao ser liberado antes do tempo pelos mecânicos. O piloto correu o risco de perder sua vitória, mas os fiscais preferiram impor à escuderia “apenas” uma multa de dez mil euros (na época, cerca de R$ 24 mil) por julgarem que o ferrarista não levou vantagem esportiva no incidente.

Mas a confusão maior aconteceu na volta seguinte. Kimi Raikkonen acelerou no momento errado, derrubando o mecânico Pietro Timpini no chão. O italiano sofreu uma fratura no pé esquerdo. Oito voltas mais tarde, o finlandês teve um problema no motor e abandonou. Após a prova, o piloto admitiu que a falha foi culpa de sua saída atrapalhada da garagem e pediu desculpas para Timpini.

3) 100ª vitória brasileira na F1

O fim de semana do Grande Prêmio da Europa de 2009 prometia ser triste para os fãs brasileiros de Fórmula 1. Seria a primeira prova sem Felipe Massa, que havia se machucado no GP da Hungria. Luca Badoer, que não corria na Fórmula 1 desde 1999, assumiu seu lugar.

Mas Rubens Barrichello mudou a sorte brasileira no dia da prova. O piloto, que largou em terceiro, já havia ultrapassado Heikki Kovalainen e Lewis Hamilton antes da 30ª volta, para assumir a ponta que não mais perderia. Foi a primeira vitória de Rubinho no ano e a centésima da história do Brasil na Fórmula 1. O triunfo colocou o competidor na vice-liderança do Mundial de Pilotos, atrás apenas de Jenson Button, seu companheiro de Brawn.

4) Renault consegue correr no tapetão

Fernando Alonso quase foi proibido de correr em casa em 2009. Isso porque, a princípio, a Renault estava suspensa do Grande Prêmio da Europa daquele ano, disputado em Valência, por conta de uma roda que se soltou do carro do espanhol no GP da Hungria, que antecedeu aquela prova. Porém, a escuderia apelou para o tribunal da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) e, no dia 17 de agosto, foi autorizada a correr.

A corrida também foi a primeira da equipe sem Nelsinho Piquet. O brasileiro, que não havia anotado um ponto sequer na temporada, foi substituído por Romain Grosjean, que fez sua estreia na Fórmula 1 naquela prova.

5) Forte acidente de Webber

Um acidente espetacular marcou a edição 2010 do Grande Prêmio da Europa. Na oitava volta, logo após sair dos boxes, Mark Webber, da Red Bull, tentou ultrapassar a Lotus de Heikki Kovalainen pouco antes da curva 13, um dos pontos mais rápidos do circuito. Os dois se tocaram em alta velocidade, e o carro do australiano capotou.

Webber, por sorte, não se machucou. Kovalainen também não, mas o finlandês também teve de abandonar a prova. A corrida foi vencida por Sebastian Vettel, que pilotava a outra Red Bull.

Leia tudo sobre: F1Rubens BarrichelloFelipe MassaFerrari

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG