Publicidade
Publicidade - Super banner
Automobilismo
enhanced by Google
 

Boa largada de Alonso e luta de Hamilton não puderam deter Vettel

GP da Espanha teve menos ultrapassagens do que outras corridas no ano, mas apresentou momentos incríveis. Confira

iG São Paulo |

O Grande Prêmio da Espanha do último domingo (22) não teve tantas ultrapassagens quanto as corridas anteriores. O dinamismo da prova foi garantido, principalmente, pelo desgaste dos pneus e do novo tipo de composto duro, o que proporcionou diferentes estratégias durante a corrida.

Siga o iG Automobilismo no Twitter

Até por isso, foi nos boxes que alguns dos momentos mais importantes da prova aconteceram. Como a briga entre Mark Webber e Fernando Alonso, que por três vezes durante o GP entraram juntos nos pits.

O espanhol da Ferrari foi responsável também pelo momento mais incrível da corrida. Alonso fez uma largada fantástica e pulou da quarta posição para a liderança na primeira curva. Apesar do bom início, o ferrarista não manteve a ponta até o fim e terminou na quinta colocação. Muito em função de problemas com o desgaste dos pneus.

A mesma dificuldade não teve Jenson Button, que conseguiu terminar a prova com apenas três paradas – enquanto seus principais concorrentes trocaram os pneus quatro vezes –, o que lhe garantiu a terceira posição.

Acima dele no pódio ficaram Sebastian Vettel e Lewis Hamilton, que birgaram pela vitória até o fim da prova. Confira a seguir cinco momentos que definiram o Grande Prêmio da Espanha:

EFE
Por fora, Fernando Alonso saltou da quarta colocação para a liderança no Grande Prêmio da Espanha

1 – Foguete espanhol

Para delírio do público local, que tem Fernando Alonso como principal ídolo na Fórmula 1, o piloto deu um verdadeiro show nos primeiros metros da corrida na Catalunha. O ferrarista largou na quarta posição, atrás de Sebastian Vettel e Mark Webber, da Red Bull, e ao lado de Lewis Hamilton, da McLaren. Mas, com uma estratégia arrojada, o espanhol colocou o carro no traçado interno da pista e ao fim da primeira curva já liderava a prova. Vettel também se deu bem na largada, pois conseguiu ultrapassar o companheiro de equipe. Quem também impressionou nos primeiros metros foi Michael Schumacher, que saltou da décima para a sexta colocação. Jenson Button, em compensação, saiu em quinto, mas despencou para a décima posição.

2 – Colados até nos boxes

Após a primeira rodada de pit stops, Fernando Alonso passou a tentar manter a posição contra o ataque de Mark Webber. E o espanhol conseguiu se defender tanto na pista quanto nos pit stops. Os dois pararam juntos três vezes seguidas – nas voltas dez, 19 e 29 – e nas três o espanhol conseguiu voltar à frente do australiano. Algo surpreendente se for levado em conta o mau desempenho da Ferrari nos pit stops nesta temporada. A coincidência nas três paradas gerou desconfianças no lado da Red Bull. Helmut Marko, ex-piloto e atual consultor da escuderia, acusou a Ferrari de espionar o rádio da sua equipe.

3 – Felipe Massa abandona

O fim de semana não foi bom para Felipe Massa. Já nos treinos classificatórios, o brasileiro não conseguiu fazer um bom tempo. Depois, com a proibição da asa traseira da Ferrari – uma das novidades que a escuderia italiana levou para a Espanha – sua esperança de conseguir uma boa volta no classificatório diminuiu. O brasileiro se classificou para o Q3 no limite – fez o décimo melhor tempo no Q2 – e garantiu apenas o oitavo lugar no grid na última parte do treino. Na largada, perdeu uma posição, mas conseguiu recuperá-la rapidamente. Ficou em oitavo durante boa parte da prova. Porém, na 61ª volta, pouco depois de ser ultrapassado por Nick Heidfeld e Sergio Pérez, o brasileiro teve de abandonar por conta de problemas no câmbio. Após a prova, Massa disse que seu principal problema no fim de semana se deu por conta dos novos pneus duros estreados pela Pirelli em Barcelona, aos quais a Ferrari não conseguiu se adaptar. Massa não conseguiu pontuar nas duas últimas corridas, assim como Rubens Barrichello. Em branco, os pilotos brasileiros igualaram uma marca negativa de 2008.

4 – Pódio na base da inteligência

Jenson Button não fez uma boa largada na Espanha. Logo nos primeiros metros, o britânico caiu da quinta para a décima colocação. Precisando recuperar terreno, o piloto retardou seus dois primeiros pit stops e fez somente três paradas durante a corrida – uma a menos do que Sebastian Vettel, Lewis Hamilton, Mark Webber e Fernando Alonso, por exemplo. A estratégia deu certo e valeu o pódio mesmo com o britânico usando os pneus duros, mais lentos, durante mais tempo do que os rivais. Após a prova, Button agradeceu à McLaren pela estratégia que lhe valeu a terceira colocação.

EFE
Vettel segurou Hamilton nas voltas finais
5 – Disputa pela vitória nas voltas finais

Líder da prova, Sebastian Vettel fez seu último pit stop na 48ª volta do Grande Prêmio da Espanha. Lewis Hamilton, segundo colocado, parou um giro depois. O piloto da Red Bull disse que chegou a lembrar do Grande Prêmio da China, quando o piloto britânico parou mais tarde e tomou a ponta do alemão nas voltas finais da corrida. Porém, dessa vez, o líder do Mundial de Pilotos conseguiu se defender do ataque do rival para garantir sua quarta vitória na temporada. Lewis Hamilton declarou que seu carro estava mais rápido do que o do rival, mas que a pista de Barcelona oferece poucos pontos de ultrapassagem.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG